Blog do Walison - Em Tempo Real

Deputado César Pires Lamenta o fato da Comissão de Justiça não ter Acatado Emenda de sua Autoria que diz Respeito as Correções de Modalidade de Professor Temporário.

cesar-piresO deputado César Pires (DEM) lamentou, na sessão desta segunda-feira (2), que a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) não tenha acatado Emenda de autoria dele que diz respeito às correções de modalidade de professor temporário, dentro da Medida Provisória (MP) enviada pelo governo do estado tratando da contração de professores. O parlamentar explicou que não pôde participar da sessão que analisou a MP, na semana passada, por problemas de saúde.

“Confesso que não sei por que esta Casa e a Comissão de Constituição e Justiça não tiveram o zelo de aprovar uma emenda de minha lavra no que diz respeito às correções de modalidade de professor temporário. Dois pressupostos básicos alimentam na sua universidade, na minha e em qualquer outra, a escolha de um professor: o conteúdo e a metodologia”, criticou.

De acordo com César Pires, “se um professor não tiver conteúdo, por mais que ele venha ter metodologia, o fracasso é anunciado”. O deputado disse que o modelo que o Estado adota é o mesmo de tempos anteriores, excluído o ano de 2009, quando ele, na condição de secretário de Educação, fez um seletivo meritório.

Na avaliação do parlamentar, uma pessoa recém saída de uma organização acadêmica, vai se tornar automaticamente superada, porque não ter curriculum suficiente para disputar com alguém que tem o curriculum mais antigo, ainda que o mais antigo seja forjado e defeituosamente em pós-graduações compradas.

Segundo o deputado, “agora voltou a contratação de professores pelo famigerado curriculum”.  Pelo novo modelo, segundo César Pires, os recém egressos não têm como fazer uma prova meritória e de conteúdo.

“Se o Maranhão continuar analfabeto, escolher professores analfabetos para dar aula, pode ter certeza, é só falácia, enganação de quem quer que seja o governo, dos que passaram, dos que estão e dos que poderão advir ou advirão em relação a isso. Não tem outro caminho que não seja o mérito do conteúdo”, frisou.

O deputado contou que recolocou para apreciação um projeto de lei para corrigir a distorção que foi feita no modelo aprovado pela Assembleia e contemplado na Medida Provisória de contratação de professores.

“Volto a reafirmar: não vamos tirar as possibilidades dos recém-formados que trazem talentos, agregam novos conhecimentos, novas tecnologias que nós, mais antigos, já não temos”. O deputado explicou que o projeto já foi lido em plenário e que vai pedir urgência dentro das Comissões técnicas para fazer a correção.

Em tempo: vale ressaltar que quando César Pires passou pela Secretaria de Educação realizou concurso público e para a contratação dos demais professores utilizou a realização de um seletivo meritório e não ficou exclusivamente preso a uma simples apresentação de currículo.

fonte Jorge Aragão

Categoria: Uncategorized

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*