Blog do Walison - Em Tempo Real

UFPB e UFCG suspendem a publicação da lista de espera do Sisu 2024

Reitoria da UFCG na sede, em Campina Grande — Foto: Marinilson Braga/UFCG

A UFPB afirma que houve uma inconsistência nas modalidades de inscrição no Sisu. A UFCG pediu que os candidatos permaneçam tranquilos porque o documento será publicado após os ajustes necessários.

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) suspenderam a publicação da primeira lista de espera do Sisu 2024. De acordo com as instituições, a decisão foi tomada após pedido do Ministério da Educação, Secretaria de Ensino Superior (SESU) e da Diretoria de Políticas e Programas de Educação Superior (DIPES).

A UFPB afirmou que, de acordo com a Pró-reitoria de Graduação (PRG), ocorreu uma “inconsistência no sistema de cotas, na ampla concorrência e nas ações afirmativas das universidades públicas federais subordinadas à União”.

A instituição de ensino também informou que está acompanhando todo o processo junto ao MEC e, assim que finalizado, a convocação será publicada nos canais oficiais da instituição.

A Universidade Federal de Campina Grande informou ao g1 que o Ministério da Educação disponibilizou um arquivo com as informações da lista de espera, mas retirou o acesso das universidades e pediu para desconsiderar o documento. A informação foi confirmada pelo presidente da Comissão de Processos Vestibulares (Comprov) da UFCG, Matheus Paquali.

O presidente da Comprov pediu que os candidatos permaneçam tranquilos porque a lista será divulgada após os ajustes necessários e liberação do MEC.

Os editais do processo seletivo da UFPB e UFCG não informam uma previsão para a publicação das listas.

Na Paraíba, apenas a Universidade Estadual da Paraíba divulgou a primeira lista de espera. O Instituto Federal da Paraíba também não divulgou o documento e, procurado pela TV Cabo Branco, não respondeu se deve suspender a divulgação.

O g1 procurou o Ministério da Educação e questionou o que causou a suspensão, se há um prazo para normalização e se o problema também atinge unidades públicas estaduais, mas até a publicação desta reportagem não recebemos resposta. Fonte: G1-PB.

Idosa condenada por cometer homicídio junto com filho é presa em Teresina 14 anos depois do crime

Viatura da Polícia Civil do Piauí — Foto: Andrê Nascimento/ g1 Piauí

A vítima foi morta por 4 disparos de arma de fogo enquanto trabalhava no telhado de uma casa. Maria de Fátima Siqueira, de 67 anos, fugiu para o estado de São Paulo, onde passou 10 anos foragida.

Maria de Fátima Siqueira, de 67 anos, foi presa na manhã desta quinta-feira (22) na região da Santa Maria da Codipi, na Zona Norte de Teresina. Ela é suspeita de, junto com o filho, matar um vizinho, um homem chamado José Gomes Ferreira em 2009, na cidade de Rio Grande do Piauí, a 379 km de Teresina.

De acordo com a Polícia Civil, Maria e seu filho, Vanderlei dos Santos Pereira, a morte ocorreu por conta de uma discussão banal: José, a vítima, era vizinho dos suspeitos e teria recebido em sua casa, durante uma festa, um homem que era desafeto de Maria e seus filhos. O homem havia sido convidado para a festa porque era namorado da filha da vítima.

  • Compartilhe esta notícia no WhatsApp
  • Compartilhe esta notícia no Telegram

Maria e o filho teriam apedrejado a casa de José na noite anterior ao crime. No dia seguinte, 7 de outubro de 2009, eles foram até o vizinho para tirar satisfações sobre a presença do homem na casa dele.

Os dois encontraram a vítima trabalhando no telhado de uma casa. Ainda segundo a policia, a mulher teria estimulado o filho a atirar contra ele. José foi morto com 4 disparos de arma de fogo.

Maria de Fátima e seu filho, Vanderlei, foram condenados pelo homicídio em 2010. Vanderlei foi preso na mesma época, e cumpriu a pena.

Ainda segundo a policia, depois do crime Maria fugiu para o estado de São Paulo onde passou 10 anos, até que retornar para Teresina, onde foi encontrada e presa. Ela foi encaminhada ao sistema prisional e ficará à disposição da justiça. Fonte: G1-PI.

Homem é preso por suspeita de importunação sexual e stalking contra sete mulheres em Alcântara

Polícia Civil do Maranhão (PC-MA) — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Suspeito foi preso na quarta-feira (21). Segundo a polícia, ele perseguia as vítimas com objetos sexuais, fazia ameaças e praticava atos libidinosos contra as mulheres.

A Polícia Civil do Maranhão (PC-MA) prendeu, na quarta-feira (21), um homem de 20 anos, suspeito de praticar importunação sexual e stalking – perseguição por qualquer meio – em Alcântara, cidade a 30 km de São Luís. Ele é investigado por praticar esses tipos de crimes contra sete mulheres.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito perseguia mulheres da cidade com objetos sexuais e, por algumas vezes, chegava a invadir a casa das vítimas com uma arma branca. Ao abordar as pessoas, ele dizia que estava interessado.

As investigações apontam que, em um dos casos, o suspeito teria chegado a tentar entrar na casa de uma das vítimas por mais de uma vez. O homem teria também o costume de espionar mulheres tomando banho e chegou a praticar um ato libidinoso contra uma criança de 10 anos.

Segundo a delegada Samira Fontes, em três casos, o homem chegou a perseguir as mulheres usando uma motocicleta, em via pública, e passou a mão pelo corpo delas. Caso as vítimas não aceitavam ficar com ele, o suspeito se expressavam com palavras libidinosas.

“As mulheres já estavam com medo de andar sozinhas, temendo a perseguição por parte do implicado”, disse a delegada.

A delegada afirmou ainda que, em um dos casos, o homem chegou a jogar uma pedra no telhado da residência de uma das vítimas, após ela ter procurado a delegacia para registrar uma denúncia contra ele.

Após o registro das denúncias, o suspeito foi preso na sua residência em flagrante. O homem foi encaminhado para a Delegacia de Alcântara, onde prestou depoimento e, em seguida, levado para a Unidade Prisional de Pinheiro (MA), onde vai permanecer à disposição da Justiça. Fonte: G1-MA.

Navio carregado de bauxita desencalha após ficar seis dias preso no litoral do MA

Navio carregado de bauxita desencalha após ficar seis dias preso no litoral do MA — Foto: Divulgação/Redes Sociais

Segundo a Capitania, o desencalhe aconteceu às 18h, quando o navio flutuou aproximadamente 30 minutos antes da preamar.

O navio mercante “Forte de São Felipe”, de bandeira brasileira, que estava encalhado no litoral de São Luís, desde a manhã do último sábado (17), conseguiu desencalhar no início da noite desta quinta-feira (22). A informação foi confirmada ao g1, pela Capitania dos Portos do Maranhão (CPMA).

Segundo a Capitania, o desencalhe aconteceu às 18h, quando o navio flutuou aproximadamente 30 minutos antes da preamar (maré de maior altura prevista para o dia). Após a flutuação e estando em condições seguras de navegação, a embarcação seguiu para atracar no Porto da Alumar.

A CPMA destacou, ainda, que a situação foi prontamente resolvida sem a necessidade de utilizar o plano de desencalhe apresentado pela empresa de assistência e salvamento.

Agora, para que o navio seja liberado para navegação, é necessário que a Sociedade Classificadora (Instituição que garante a segurança, confiabilidade e conformidade das embarcações) emita, após sondagem da embarcação, um parecer atestando que ela tem condições seguras para navegar.

A Capitania dos Portos informou que “está em andamento um Inquérito Administrativo para apurar as causas do encalhe, o que temporariamente impede a continuidade de sua operação normal”. Fonte: G1-MA.

PF prende três suspeitos de ajudar presos que fugiram em Mossoró

A Polícia Federal prendeu três suspeitos de ajudar os detentos que fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. 

Uma dos suspeitos foi detido quando chegava em casa em Mossoró. Segundo a polícia, o homem estaria vindo de uma cidade vizinha, que fica no Ceará, conforme informou a TV Brasil. 

De acordo com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, uma pessoa foi presa em flagrante na posse de drogas, armas e munições; outra foi alvo de mandado de prisão temporária (pedido pela PF); e uma terceira prisão ocorreu em função de mandado em aberto. No total, foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão nas cidades de Mossoró, Quixeré (CE) e Aquiraz (CE).

Os agentes encontraram com os suspeitos armas, celulares drogas e um carro, que foram apreendidos. 

“Em uma das residências alvo das buscas (em Aquiraz), havia drogas, armamentos e munições. Houve uma prisão em flagrante. Foram apreendidos ainda telefones celulares e um veículo que, supostamente, teria sido utilizado no auxílio aos criminosos para fornecimento de armamento a ser empregado na fuga”, diz nota do ministério.

Rogério da Silva Mendonça e Deibson Cabral Nascimento escaparam do presídio há nove dias. Eles foram os primeiros detentos a fugirem de uma penitenciária de segurança máxima no país. Desde então, cerca de 500 policiais federais, rodoviários federais e estaduais estão em busca dos fugitivos. Mais 100 homens da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) irão apoiar a operação. 

Investigações mostram que os dois presos usaram ferramentas encontradas, como um alicate, dentro do presídio para escapar. A unidade estava passando por uma reforma interna e os equipamentos não foram guardados adequadamente, facilitando o acesso dos detentos. 

* Com informações da TV Brasil 

Edição: Carolina Pimentel

Após atacar idoso e cachorro, sucuri é resgatada no quintal de residência em Barreirinhas

Sucuri é resgatada após atacar idoso em Barreirinhas (MA) — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Resgate aconteceu na manhã desta quinta-feira (22). De acordo com o Corpo de Bombeiros, idoso foi atacado pela sucuri após tentar salvar cachorro de ataque da cobra.

Sucuri é resgatada após atacar idoso em Barreirinhas (MA) — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Uma cobra sucuri foi resgatada, na manhã desta quinta-feira (22), dentro de um quintal no bairro Murici, em Barreirinhas, cidade a 252 km de São Luís. A cobra tinha mais de 1 metro de comprimento.

De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA), antes de ser capturado, a cobra apareceu próximo à um córrego de Barreirinhas e atacado um cachorro.

Ao tentar socorrer o cachorro, um idoso teria sido atacado pela cobra e teve o antebraço mordido pelo animal. Vizinhos perceberam a situação e tentaram tirar o animal da vítima e acionaram os Bombeiros.

Ao chegarem ao local, o Corpo de Bombeiros encontrou o animal contido e amarrado em uma corda, em uma árvore, localizada nos fundos de uma casa no município.

O resgate do animal foi feito e a cobra foi liberada em um trecho do Rio Preguiças, na zona rural de Barreirinhas. O idoso foi encaminhado ao hospital da cidade onde passou por exames.

A sucuri é uma espécie de cobra que não é venenosa, mas é conhecida por ser constritora, que são espécies que usam a força muscular para imobilizar e matar presas por asfixia. Fonte: G1-MA.

STF proíbe limite de 10% no ingresso de mulheres nos quadros da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros no PI

Restrição de gênero no ingresso na PM-PI é derrubado pelo STF — Foto: Polícia Militar

Liminar foi concedida na última terça-feira (20) pelo ministro Luiz Fux. Concursos recentes de ambas as corporações, realizados em 2022 e 2023, ofertaram mais de 1.500 vagas no Piauí.

O Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu que os concursos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Piauí estabeleçam limites para o ingresso de mulheres. Os últimos concursos estabelecem um limite de 10% no ingresso de mulheres, prática prevista na legislação estadual.

Confira a íntegra da decisão.

A decisão deve afetar as próximas 200 nomeações do concurso do Corpo de Bombeiros. Na decisão, o STF determinou que as nomeações para o cargo de soldado do CBM-PI, cujo concurso público mais recente foi realizado em junho de 2023, não atendam ao limite de ingresso das candidatas femininas. O concurso ofertou 200 vagas diretas, cujos aprovados foram convocados ainda em 2023, e outras 200 de cadastro de reserva.

Ao g1, o Corpo de Bombeiros do Piauí informou que tratará o assunto com a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e, assim que for notificado, tomará uma decisão que “não prejudique nenhum dos participantes do certame”.

✅ Siga o canal do g1 Piauí no WhatsApp

A liminar foi concedida na última terça-feira (20) pelo ministro Luiz Fux em resposta a uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) ajuizada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), que questionou a restrição de gênero nas corporações militares de outros 16 estados.

O objeto da ação é o artigo 10, § 3º, da Lei 3.808, de 16 de julho de 1981, e a Lei Complementar 35, de 6 de novembro de 2003, e o artigo 2º da Lei 5.023, de 21 de novembro de 1998, ambos do Estado do Piauí, que determina:

  • § 3º Às mulheres serão reservadas até 10% (dez por cento) das vagas oferecidas no concurso público [para ingresso na Polícia Militar do Piauí]”

Da mesma forma, a restrição de gênero fica suspensa para os próximos concursos da Polícia Militar do Piauí. Desde o último concurso promovido pela corporação, ocorrido em janeiro de 2022, cerca de 1.500 novos soldados foram aprovados e nomeados pelo governo do Piauí.

Em novembro de 2023, o STF pôs fim à restrição de gênero em concurso da Polícia Militar do Distrito Federal.

Para o ministro Luís Fux, a limitação do ingresso de mulheres na Polícia Militar e no Corpo de Bombeiros viola os princípios constitucionais da isonomia e da universalidade de acesso a cargos públicos. O entendimento também foi aplicado nas ADIs relativas ao Rio de Janeiro e ao Distrito Federal.

SSP-PI lança edital para concurso do Corpo de Bombeiros com 400 vagas — Foto: Isabela Leal/g1

“A existência de manifestações recentes do plenário da Corte em casos idênticos ao destes autos evidencia, sem dúvida alguma […] o perigo de dano que decorre da iminência de convocação de candidatos aprovados no concurso público para o curso de formação de soldado do Corpo de Bombeiros Militar do Piauí”, escreveu o ministro. Fonte: G1-PI.

Novo bispo auxiliar da Arquidiocese da Paraíba diz que não veio para ‘almejar o lugar do arcebispo’

Dom Alcivan Tadeus é o novo bispo auxiliar da Arquidiocese da Paraíba — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

Dom Alcivan Tadeus assume a função nesta quinta-feira (22). Em entrevista à TV Cabo Branco, ele comentou sobre como será o trabalho na Arquidiocese e a polêmica envolvendo investigações do Hospital Padre Zé.

Dom Alcivan Tadeus é o novo bispo auxiliar da Arquidiocese da Paraíba — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

O novo bispo auxiliar da Arquidiocese da Paraíba, Dom Alcivan Tadeus, assume a função nesta quinta-feira (22), em uma cerimônia realizada na Catedral Basílica de Nossa Senhora das Neves, em João Pessoa. O religioso disse, em entrevista à TV Cabo Branco, que veio para servir e não para substituir o arcebispo, ao ser questionado sobre a possibilidade de assumir como arcebispo futuramente.

“Eu venho como um servidor. Eu não venho para almejar o lugar do arcebispo. Pode acontecer? pode, mas o foco principal é servir a essa igreja neste momento”.

Natural do estado do Rio Grande do Norte, Dom Alcivan Tadeus é padre desde 1997 e foi ordenado bispo em janeiro. Na Arquidiocese da Paraíba, ele deve auxiliar o arcebispo Dom Manoel Delson e relatou que seu trabalho terá uma atenção especial para o Agreste da Paraíba e região de Mamanguape.

“Vamos caminhando ao longo desse tempo, chegando, conhecendo a realidade da arquidiocese para dar atenção especial a essas duas foranias que compõem a Arquidiocese da Paraíba”.

Caso do Hospital Padre Zé

Na entrevista, o repórter Hebert Araújo questionou Dom Alcivan sobre a polêmica envolvendo a investigação do caso Padre Zé. O bispo auxiliar respondeu que está ciente das dificuldades com relação a esse caso, mas ressalta que é importante focar naquilo de bom que a igreja católica paraibana possui, como o trabalho evangelizador e combate às vulnerabilidades.

“Caminhar pra frente, olhar pra frente e olhar para aquilo que é essencial, fundamental, sobretudo a evangelização. Olhar para as periferias humanas, existenciais, geográficas onde nós podemos levar a alegria do evangelho para mudar todas as situações de vulnerabilidade social e psíquicas que as pessoas vivem”, disse. Fonte: G1-PB.

Solução de dois estados entre Palestina e Israel é unanimidade no G20

Rio de Janeiro (RJ), 22/02/2024 – O ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira fala após reunião de chanceleres do G20, na Marina da Glória, zona sul do Rio de Janeiro Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

A solução de dois estados – um Palestino e um Israelense – é unanimidade entre os integrantes do G20, grupo dos 20 países que reúnem as principais economias do mundo, como único caminho para a paz no Oriente Médio. A posição foi repassada nesta quinta-feira (22) pelo ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, ao término do encontro de chanceleres, no Rio de Janeiro. A reunião foi a primeira de nível ministerial realizada sob a presidência brasileira no G20.

Outra unanimidade destacada pelo ministro é a necessidade de uma reforma no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), instituição multilateral máxima para temas ligados à paz mundial e resolução de conflitos e guerras.

O encontro, realizado na Marina da Glória, ponto turístico na orla carioca, contou com a presença de 45 delegações de integrantes do G20, convidados e entidades multilaterais, como a ONU, o Fundo Monetário Internacional (FMI) e a Organização Mundial do Comércio (OMC). Dos países, 32 estiveram presentes com representantes de nível ministerial.

Entre os chanceleres que compareceram estão o secretário de Estado americano, Antony Blinken; o chanceler russo, Sergey Lavrov, e o ministro de Relações Exteriores do Reino Unido e ex-primeiro-ministro britânico, David Cameron.

Guerras

De acordo com o chanceler brasileiro, os integrantes do G20 e convidados discutiram a participação e importância do grupo no diálogo e resolução de conflitos e tensões internacionais, mais notadamente a situação atual na Ucrânia – que sofre invasão russa – e na Faixa de Gaza, que enfrenta ofensivas e invasão territorial israelense.

“Vários países reiteraram a sua condenação da guerra na Ucrânia”, disse, sem citar a posição específica de cada país.

“Grande número de países, de todas as regiões, expressou a preocupação com o conflito na Palestina, destacando o risco de alastramento aos países vizinhos. Vários demandaram, ademais, a imediata libertação dos reféns em poder do Hamas”, completou.

Mauro Vieira acrescentou que houve “virtual unanimidade no apoio à solução de dois estados como sendo a única solução possível para o conflito entre Israel e Palestina”.

Foi considerado no encontro especial destaque ao deslocamento forçado de mais de 1,1 milhão de palestinos para o sul da Faixa de Gaza. “Nesse contexto, houve diversos pedidos em favor da liberação imediata do acesso para ajuda humanitária na Palestina, bem como apelos pela cessação das hostilidades. Muitos se posicionaram contrariamente à anunciada operação de Israel em Rafah, pedindo que o governo de Israel reconsidere e suspenda imediatamente essa decisão”, ressaltou.

A ofensiva de Israel na Faixa de Gaza é uma retaliação ao ataque do Hamas ao território israelense em 7 de outubro do ano passado, quando 1,2 mil pessoas foram mortas e mais de 250 pessoas foram sequestradas. De acordo com autoridades de Gaza, o número de mortos na região palestina sitiada desde então beira 30 mil.

Conselho de Segurança

Sobre o papel da ONU, o chanceler brasileiro disse que há consenso entre os países sobre a essencialidade da organização para a paz e segurança no mundo e promoção do desenvolvimento sustentável. Em relação ao Conselho de Segurança, a presidência brasileira do G20 espera impulsionar uma reforma que inclua novos países membros, rotativos e permanentes, com aumento na representação, sobretudo da América Latina, do Caribe e da África.

Atualmente, o conselho é formado por 15 países, mas apenas cinco – Estados Unidos, Rússia, China, França e Reino Unido – têm poder de veto, o que tem inviabilizado resoluções como um cessar-fogo na Faixa de Gaza. Nesse caso, o veto foi americano.

Mauro Vieira defendeu ainda que organizações financeiras multilaterais, como o FMI, facilitem o acesso a financiamento para países pobres e possibilitem a maior participação deles na governança das instituições.

O ministro brasileiro anunciou que foi aprovada a realização de um novo encontro extraordinário dos chanceleres em setembro, em Nova York, à margem da abertura da 79ª Assembleia-Geral da ONU, com a participação de todos os países, independentemente de terem assento no G20.

“Será a primeira vez em que o G20 se reunirá dentro da sede das Nações Unidas, em sessão aberta para todos os membros da organização, para promover um chamado à ação em favor da reforma da governança global”, destacou.

Encontros

Os dois dias de encontros ministeriais no Rio de Janeiro esta semana são um preparativo para a reunião de cúpula de novembro, também na cidade, com a participação dos chefes de Estado e de governos.

Nos dias 28 e 29 de fevereiro, ministros das finanças e presidentes de bancos centrais se encontram em São Paulo. Também estão previstas diversas reuniões de grupos de trabalho em cidades brasileiras até o encontro final sob a presidência brasileira, em novembro, antes da passagem de comando do G20 para a África do Sul.

Prioridades

Além da necessidade de reforma na governança mundial, foram acolhidas pelo G20, segundo Vieira, as demais prioridades da presidência rotativa brasileira, como a busca da inclusão social e combate à fome e à pobreza e a promoção do desenvolvimento sustentável, considerando-se seus três pilares, o social, o econômico e o ambiental.

“A presença de todas e todos aqui é prova não somente da crescente importância do Brasil, mas também do papel G20 como foro de concertação [conciliação] internacional”, finalizou o chanceler.

G20

O G20 é composto por 19 países – África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Reino Unido, Rússia e Turquia – e dois órgãos regionais, a União Africana e a União Europeia.

Os integrantes do grupo representam cerca de 85% da economia mundial, mais de 75% do comércio global e cerca de dois terços da população mundial.

Como presidente do G20, o Brasil tem o direito de chamar outros países e entidades. Entre os convidados estão Angola, Bolívia, Egito, Emirados Árabes Unidos, Espanha, Nigéria, Noruega, Paraguai, Portugal, Singapura e Uruguai. Em 2025, o G20 será presidido pela África do Sul.

Fonte: Agência Brasil Edição: Fernando Fraga

Bolsonaro não responde à PF em depoimento sobre golpe de Estado

Brasília (DF), 22/02/2024, O advogado, Paulo Bueno, durante entrevista coletiva após depoimento do ex-presidente Jair Bolsonaro, na Polícia Federal.  Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil

O ex-presidente Jair Bolsonaro não respondeu aos questionamentos da Polícia Federal (PF), nesta quinta-feira (22), no depoimento para investigação que apura a suposta tentativa de golpe de Estado no Brasil. Ele chegou à sede da PF, em Brasília, por volta das 14h20, e não falou com a imprensa.

Bolsonaro ficou cerca de 30 minutos na PF e, após deixar o local em carro com vidros fechados, dois dos seus advogados falaram com a imprensa e justificaram que o seu cliente ficou em silêncio porque a defesa não teria tido acesso à íntegra dos autos da investigação.

“A falta de acesso a esses documentos, especialmente as declarações do tenente coronel Mauro Cid, e as mídias eletrônicas obtidas dos telefones celulares de terceiros e computadores, impedem que a defesa tenha o mínimo conhecimento por quais elementos o presidente é hoje convocado a esse depoimento” destacou Paulo Bueno, advogado do ex-presidente.

A defesa acrescentou que o silêncio é uma estratégia “baseada no fato de que a defesa não teve acesso a todos os elementos pelos quais está sendo imputada ao presidente a prática de certos delitos”, acrescentou.

Bueno disse, ainda, Bolsonaro está à disposição da Justiça “como, aliás, ele sempre fez e continuará fazendo, sendo do maior interesse dele o esclarecimento dessa verdade”.

Além do ex-presidente, vários ex-integrantes do governo anterior compareceram nesta quinta-feira (22) à sede da Polícia Federal para prestar depoimentos, entre eles, o ex-ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, o ex-ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, o ex-ministro da Casa Civil, general Walter Braga Netto, o ex-ministro da Justiça, Anderson Torres, e o presidente do partido de Bolsonaro, o Partido Liberal (PL), Valdemar Costa Neto.

As defesas desses investigados não falaram com a imprensa. Eles são suspeitos de formar uma organização criminosa que, segundo a Polícia Federal, atuou na tentativa de golpe de Estado para manter o então presidente no poder após a vitória eleitoral do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

As investigações apontaram que o grupo formulou uma minuta, com a participação de Bolsonaro, que previa uma série de medidas contra o Poder Judiciário, incluindo a prisão de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Esse grupo também promoveu reuniões para impulsionar a divulgação de notícias falsas contra o sistema eleitoral brasileiro e monitorou o ministro do STF, Alexandre de Moraes.

Operação Tempus Veritatis

No dia 8 de fevereiro, a PF deflagrou a Operação Tempus Veritatis que teve como alvo diversos militares e assessores ligados a Bolsonaro. O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, chegou a ser preso por porte ilegal de arma e de pepita de ouro de garimpo ilegal durante a operação.

A operação foi deflagrada após o ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, o tenente-coronel Mauro Cid, ter fechado acordo de colaboração premiada junto a investigadores da PF. O acordo foi enviado à Procuradoria-Geral da República (PGR) e já recebeu a homologação pelo STF.

Bolsonaro foi alvo de mandatos de busca e apreensão e teve o passaporte apreendido para não poder deixar o país até a conclusão do inquérito. A operação prendeu ainda o ex-assessor para Assuntos Internacionais da Presidência, Filipe Martins, o coronel Marcelo Câmara, da reserva do Exército, e o major Rafael Martins, da ativa do Exército.

A investigação aponta ainda que o general Walter Braga Netto, então candidato a vice-presidente na chapa derrotada em outubro de 2022, teria orientado ataques contra generais que não aderiram ao plano de golpe de Estado.

Fonte: Agência Brasil Edição: Kleber Sampaio