Blog do Walison - Em Tempo Real

Com menos imposto, produção de grãos aumenta PIB do Maranhão


Uma das razões pelas quais o Maranhão alcançou o quarto maior crescimento do PIB em 2017 no Brasil é a redução de tributos. Naquele ano, o governador Flávio Dino assinou decreto que diminuiu de 12% para 2% a alíquota do ICMS para produtores de soja, milho, milheto e sorgo, principais grãos produzidos no estado.

De acordo com o IBGE, o PIB do Maranhão cresceu 5,3% em 2017. Foi o segundo maior do Nordeste e o quarto maior do Brasil. E foi quatro vezes acima da média nacional, de 1,3%.

Ainda segundo o IBGE, o desempenho da Agropecuária foi determinante para o resultado, “inclusive apoio à agricultura e à pós-colheita, que em 2016 foi afetada por condições climáticas desfavoráveis”.

Tudo isso levou um aumento 77,1% no PIB da Agricultura maranhense em 2017. No Brasil todo, essa alta foi de 19,4%.

“Tivemos um vetor muito importante, que foi o crescimento do setor da agricultura maranhense. Nos alegramos de ver o resultado de ações nossas, como o programa Mais Produção, que incentiva quem produz, e também medidas tributárias, incluindo desoneração no setor de grãos”, afirmou o governador Flávio Dino.

Competitividade

A queda das alíquotas de 12% para 2% em 2017 deu mais competitividade aos agricultores.

Além disso, os produtores de arroz foram beneficiados com o chamado diferimento do pagamento do ICMS. Isso significa que o pagamento do imposto é transferido para uma etapa posterior, uma vantagem para os produtores.

O governador também lembra a importância do Estado na estimulação da economia: “Destaco a importância dos investimentos públicos. Mantivemos uma taxa muito alta, a segunda maior do país em investimentos em obras e serviços públicos, que também são vetores decisivos para o crescimento da economia”.

Ascom

Categoria: Uncategorized

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*