Blog do Walison - Em Tempo Real

Moradores da Avenida Primeiro de Maio em Codó SOFREM em meio ao MATAGAL que tomou conta da rua

SOFRIMENTO e ABANDONO passaram a fazer parte do COTIDIANO dos moradores da Avenida Primeiro de Maio nesse ano de 2021 na cidade de Codó, é mato que não acaba mais, mato que tem contribuído para o aumento da ação de criminosos bem como com a proliferação de insetos e ratos que tem tirado o sossego dessas famílias que já não sabem mais a quem recorrer.

Em Codó Mulher de 63 anos denuncia que também teve VACINA da COVID-19 NEGADA pelo “GOVERNO DOS MÉDICOS” em drive-thru nessa terça-feira 06/04/2021 por está de moto

Aconteceu comigo tbm eu fui ontem de moto eu passei uma hora e meia na fila .e quando estava chegando faltava só 4 carro pra chegar minha vez. Um rapaz gritando pra mim dizendo vc não vai se vacina pq que tiver de moto e lá dentro do senador .eu sou um senhora de 63 anos. Aí um senhor que estava no carro atrás da minha moto buzinou e mandou eu entrar no carro dele aí eu me vacinei é uma falta de respeito pra com cidadão

Alô Càmara Municipal de Codó, é preciso que vocês fiscalizem de perto essa falta de RESPEITO do “GOVERNO DOS MÉDICOS” com os IDOSOS que estão chegando no drive-thru de motocicleta e tendo o DIREITO a vacina da COVID-19 NEGADO.

Segregado e impedido de ser vacinado por chegar de moto no drive-thru de Codó lamenta atitude do “Governo dos Médicos”

Cidadão codoense lamenta profundamente atituda do “GOVERNO DOS MÉDICOS” em não ter tido o direito a vacina da COVID-19 nessa quarta-feira em DRIVE-THUR na Rua Leontino Ramos, para o cidadão codoense SEGREGADO essa atitude é lamentável e inexplicável uma vez que o DRIVE-THUR do “GOVERNO DOS MÉDICOS” deveria atender a demanda que chegasse motorizada e não SEGREGAR e NEGAR um DIREITO ADQUIRIDO constitucionalmente.

Fonte do Vídeo blogdoacelio

Guedes diz a Brics que vacinas e recuperação econômica são prioridades

A promoção da vacinação e o avanço da agenda de reformas estruturais para recuperar a economia são prioridades para o governo brasileiro, disse hoje (6) o ministro da Economia, Paulo Guedes. Ele participou da primeira reunião de 2021 dos ministros de Finanças e presidentes de Bancos Centrais do Brics (grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

No encontro, que costuma ser realizado paralelamente à reunião de primavera do Fundo Monetário Internacional (FMI), Guedes apresentou informações atualizadas sobre a vacinação contra a covid-19 no Brasil e destacou a importância de parcerias do Brasil com os demais países do Brics.

Na reunião, Guedes mencionou as políticas emergenciais que reduziram o impacto da crise econômica gerada pela pandemia, citando o auxílio emergencial, o programa de redução de jornada e de suspensão de contratos em troca da preservação do emprego e as ações de saúde pública. O ministro afirmou que o Brasil continua empenhado em adotar políticas fiscal e monetária que criem condições para a recuperação sustentada da economia, melhorando o ambiente de negócios e estimulando os investimentos privados.

Sob a presidência rotativa da Índia, os ministros e presidentes dos Bancos Centrais do Brics debateram a atual conjuntura econômica e as perspectivas de recuperação no período pós-pandemia. Os participantes também discutiram as atividades do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB), banco de fomento mantido pelos países do Brics, e defenderam a colaboração em investimentos em infraestrutura, cooperação alfandegária e a reforma de quotas do Fundo Monetário Internacional.

Desenvolvimento

O ministro Paulo Guedes manifestou o apoio do Brasil à Estratégia Geral do NDB entre 2022 e 2026. Para ele, a instituição financeira pode financiar importantes projetos no Brasil e tem potencial para expandir-se, com atuação estratégica em países em desenvolvimento.

Sobre os investimentos em infraestrutura, Guedes disse apoiar o funcionamento de mercados abertos e a crescente participação do setor privado, assim como a aplicação de instrumentos financeiros inovadores. Chamou atenção para o potencial de investimentos em infraestrutura digital voltados para a recuperação econômica inclusiva, sustentável e duradoura, citando a inclusão financeira promovida pelo pagamento do auxílio emergencial por meio de aplicativo.

FMI

Em relação à reforma das quotas no FMI, Guedes pediu que haja avanços na 16ª Revisão Geral de Quotas, que encerrará os trabalhos em dezembro de 2023. O ministro manifestou apoio do Brasil aos mecanismos de complementação de liquidez discutidos no FMI e no G20 (grupo das 20 maiores economias do planeta), como a alocação adicional de direitos especiais alocativos e a extensão do perdão do serviço das dívidas a alguns países mais pobres. O ministro também defendeu que pequenas e médias economias fortemente afetadas pela pandemia tenham acesso mais fácil a medidas de apoio.Por Agência Brasil

Codó Chega a 52 Óbitos por COVID-19 na Gestão Zé Francisco

Em apenas três meses e sete dias de “GESTÃO DOS MÉDICOS” em Codó alcançamos a triste marca de 52 mortes por COVID-19, nunca morreu tanta gente em tão pouco tempo na cidade de Codó, as autoridades competentes, os nobres vereadores precisam fazer o papel de fiscalizador e entender o que de fato está acontecendo, o que tem levado a morte de tantas pessoas em um curto espaço de tempo, medidas enérgicas precisam ser tomadas afim de que outros codoenses não entrem para essa triste estatística.

Maranhão contabiliza 43 mortes e 770 casos de Covid-19 nesta terça-feira (6)

Pela quinta vez consecutiva, o Maranhão superou a marca de 40 mortes diárias pela Covid-19. Nesta terça-feira (6) foram 43 óbitos registrados e 770 novos casos, segundo a Secretaria de Estado da Saúde.

Ao todo, o Maranhão tem agora 6321 óbitos e 245.765 casos de Covid-19. Dos novos casos registrados nesta terça (6), 152 foram na Grande Ilha (São LuísSão José de RibamarPaço do Lumiar e Raposa), 54 em Imperatriz e 564 nos demais municípios do estado.

Temos que continuar respeitando as regras de distanciamento e fazendo u uso diário de máscaras que ainda continuam sendo um elemento de grande importância na luta contra esse vírus terível.

Pandemia levou custo do governo federal crescer 16% em 2020

Moeda Nacional, Real, Dinheiro, notas de real,Cédulas do real

Impulsionados pela pandemia de covid-19, os custos totais do governo federal totalizaram R$ 2,64 trilhões e aumentaram 16% em 2020 em relação a 2019, divulgou hoje (6) o Tesouro Nacional. O indicador mede os gastos dos Três Poderes da União e do Ministério Público Federal com mão de obra, funcionamento, insumos, gastos financeiros, desvalorização de patrimônio e repartição de receitas com estados, municípios e organizações da sociedade.

Os principais componentes que elevaram os custos foram o auxílio emergencial e o programa de proteção ao emprego, que fizeram o item insumos financeiros (gastos financeiros) crescer 19% em 2020, e as compras de equipamentos para enfrentar a pandemia, que elevaram os custos de funcionamento do Ministério da Saúde em 17%, de R$ 21,69 bilhões para R$ 25,33 bilhões.

Segundo o Tesouro Nacional, os itens que contribuíram para o aumento dos gastos do Ministério da Saúde foram materiais farmacológicos (medicamentos ou componentes destinados à manipulação de drogas medicinais), materiais reagentes para diagnóstico clínico e materiais de assepsia e equipamentos de proteção individual para ação preventiva contra o novo coronavírus.

Teletrabalho

Sem o Ministério da Saúde, os custos de funcionamento (um dos itens dos custos totais do governo federal) teriam caído 10% em 2020 para o Poder Executivo. A maior parte da redução deve-se ao trabalho remoto de servidores públicos durante a pandemia. O teletrabalho reduziu em 31% os gastos com diárias e passagens, em 40% as despesas de copa e cozinha, em 18% as de telefonia e em 19% as de água, esgoto, energia elétrica e gás na conta que exclui as despesas do Ministério da Saúde.

Os demais poderes também registraram redução de custos por causa do trabalho remoto. O custo de funcionamento do Poder Legislativo caiu 8% no ano passado. No Poder Judiciário, a queda chegou a 11% e, no Ministério Público Federal, a 7%.

Ao contabilizar apenas os salários e as demais remunerações, os gastos com mão de obra nos Três Poderes e no Ministério Público subiram apenas 3% em 2020. Segundo o relatório, essa alta deveu-se principalmente ao pagamento de sentenças judiciais e do aumento do adicional para as Forças Armadas, que entrou em vigor após a reforma das carreiras militares.

Gastos financeiros

Os insumos (gastos) financeiros subiram 19% no ano passado, impulsionados principalmente pelo auxílio emergencial e pelo Benefício Emergencial (BEm), que consumiram R$ 326 bilhões. Outros itens que puxaram o crescimento foram o incremento de R$ 45,9 bilhões com a atualização das projeções de gastos para a Previdência dos servidores da União e a alta de R$ 36,2 bilhões com o reajuste dos benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), vinculados ao aumento do salário mínimo. Puxada pela ajuda aos governos locais em decorrência da pandemia, as transferências para estados e municípios subiram R$ 28,7 bilhões.

EsTa foi a segunda vez que o Tesouro divulgou o Boletim Foco em Custos. A primeira versão, lançada em novembro, trazia o balanço de custos em 2019 e no primeiro semestre de 2020. Segundo o Tesouro Nacional, o documento tem o objetivo de medir tanto o consumo de recursos pelo setor público quanto a prestação de bens e de serviços à sociedade. Os valores são apurados por meio da comparação do valor do patrimônio em relação ao período anterior. bPor Agência Brasil

OMS alerta que imunizados com as duas doses da vacina ainda podem pegar Covid-19

Organização Mundial da Saúde (OMS) fez um alerta nesta terça-feira, 6, sobre casos de contaminação pelo novo coronavírus em pessoas que já receberam as duas doses da vacina contra a Covid-19. “Há pessoas que, embora estejam imunizadas, podem se infectar”, disse a porta-voz da agência, Margaret Harris, durante uma entrevista coletiva. A representante ressaltou, no entanto, que as vacinas continuam sendo uma boa ferramenta no combate à pandemia, desde que sejam respeitadas as recomendações de distanciamento social e higiene pessoal. No último sábado, 3, o presidente da ArgentinaAlberto Fernández, anunciou através do seu perfil oficial no Twitter que está com a Covid-19, apesar de ter recebido a primeira dose da vacina russa Sputnik V em janeiro e a segunda, em fevereiro. No dia seguinte, a médica presidencial garantiu que o fato de ter sido imunizado fez com que o chefe de governo não desenvolvesse um quadro de saúde pior. A informação foi reiterada pelo Instituto Gamaleya, que afirmou que a vacina desenvolvida na Rússia é 91,6% eficaz contra infecções e 100% eficaz contra casos graves, de forma que o presidente argentino deve ter uma recuperação rápida, sem o desenvolvimento de sintomas mais significativos.

Rússia continuará fornecendo vacinas à Argentina

Nesta segunda-feira, 5, Alberto Fernandéz conversou por telefone com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, que ligou para saber sobre o seu estado de saúde. Fernández agradeceu e disse que está passando pela doença “suavemente e sem sintomas”, graças aos “efeitos positivos da vacina Sputnik V”. O argentino também ressaltou que os resultados da campanha de vacinação em seu país “são excelentes e sem efeitos adversos”. Quanto ao pedido de um “envio regular de vacinas” à Argentina, Putin frisou que o fornecimento “continuará como combinado”, de acordo com um comunicado presidencial russo. A Argentina já adquiriu 7.266.500 milhões de doses da vacina contra a Covid-19, a maioria delas vindas da Rússia (4.468.100). Além da Argentina, a Sputnik V já está sendo distribuída em outros 16 países estrangeiros. No Brasil, a Anvisa ainda está analisando o pedido de uso emergencial da vacina, mas recentemente as cidades do Rio de Janeiro, Niterói e Maricá já fecharam contratos para compra de doses.

Putin não revelou se recebeu a Sputnik V

O presidente da Rússia, Vladmir Putin, recebeu a primeira dose de um imunizante contra a Covid-19 no dia 23 de março. No entanto, a vacinação do mandatário de 68 anos aconteceu sem a presença das câmeras e o governo se recusou a revelar qual imunizante foi utilizado. “Todas as três vacinas russas são absolutamente confiáveis, seguras e eficazes”, limitou-se a dizer o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, em entrevista coletiva, referindo-se à Sputnik V, à EpiVacCorona e à CoviVac. De acordo com a mídia russa, a expectativa do governo é que o fato de Putin ter recebido a injeção estimule a campanha de vacinação contra novo coronavírus, que está tendo pouca adesão da população.

*Com informações da EFE

PF investiga grupo que fraudava auxílio emergencial a partir de Manaus

A Polícia Federal deflagrou uma nova operação para investigar supostas fraudes praticadas contra o auxílio emergencial. Nessa frente, a Operação Sevandija apura suspeitos que teriam atuado em Manaus, onde cumpre quatro mandados judiciais de busca e apreensão expedidos pela 2ª Vara Criminal da Justiça Federal do Amazonas.

De acordo com os investigadores, os criminosos desviavam valores que seriam destinados a pessoas cadastradas para receber o auxílio emergencial.

“A Polícia Federal constatou que o golpe é aplicado em âmbito nacional, mediante cadastro (via aplicativo CAIXA Tem ou site) em nome de terceiros. Com a disposição dos valores nas respectivas contas sociais fraudadas, os membros da organização realizam pagamentos, por meio de boletos, bem como realizam transferências bancárias fraudulentas, a fim de receberem os recursos desviados”, informou a PF.

Durante o cumprimento dos mandados, um dos investigados foi preso em flagrante por tráfico de entorpecentes, uma vez que havia com ele “grande quantidade de substância com características similares à maconha”.

Segundo a PF, os indiciados poderão responder pelos crimes de pertencimento a organização criminosa e furto qualificado mediante fraude. Caso sejam condenados, poderão cumprir pena de até 16 anos de reclusão.

Operação Checker

No Paraná, a Polícia Federal deflagrou a Operação Checker, para desmantelar uma organização criminosa que também fraudava o auxílio emergencial. Dois mandados de prisão preventiva e dois mandados de busca e apreensão são cumpridos no município paranaense de Umuarama.

Os suspeitos teriam usado programas de computador que, por meio de algoritmos, geram números do Cadastro de Pessoa Física (CPF) e softwares chamados checkers, que indicavam titulares aptos a receber o Auxílio Emergencial.

“Os saques eram realizados diretamente no caixa eletrônico, na agência bancária, ou então, quando em valores maiores, por meio de transferência através do sistema PIX”, informa a PF.Por Agência Brasil