Blog do Walison - Em Tempo Real

Governador Flávio Dino cobra Banco Central para evitar aglomerações em agências bancárias

Em ofício enviado ao presidente do Banco Central do Brasil (BC), Roberto Campos Neto, o governador Flávio Dino pede providências da instituição para evitar aglomerações em agências bancárias em todo o estado.

No texto, enviado no dia 31 de março, o governador sugere que sejam adotadas “medidas preventivas para evitar superlotação nas agências, sem que haja prejuízo no atendimento ao público”, em razão da preocupação em resguardar a saúde da coletividade.

No documento, Flávio Dino reitera que o Maranhão aguarda a atuação do Banco Central e informa que o Governo está à disposição para “colaborar e atuar supletivamente para a assegurar o atendimento com segurança ao público e aos profissionais que atuam nas instituições bancárias”.

No último dia 18 de março, o Banco Central informou ao Governo do Maranhão, também via ofício, que cabia à autarquia federal decidir sobre o não atendimento ao público por parte das instituições financeiras. Em complemento, o BC disse estar atento ao cenário e que tomaria as medidas necessárias em consonância às adotadas pelas autoridades federais.

Ascom

Brasil contabiliza 240 mortes pelo covid-19.

O número de casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus no país subiu para 6.836 nesta quarta-feira (1°), de acordo com os dados mais recentes do Ministério da Saúde. O número de mortes por covid-19 chegou a 240. O índice de letalidade ficou em 3,5%.

Ontem, o país contabilizava 201 óbitos e 5.717 casos confirmados da doença. Os novos casos somaram 1.119, um pouco menos do que os 1.138 novos no balanço ontem.

screenshot_2020-04-01_coronavirus_brasil1
Ministério da Saúde/Divulgação

As mortes estão assim distribuídas pelos estados brasileiros: São Paulo (164), Rio de Janeiro (28), Ceará (8), Pernambuco (8), Piauí (4), Rio Grande do Sul (4), Paraná (3), Amazonas (3), Distrito Federal (3), Minas Gerais (3), Bahia (2), Santa Catarina (2), Rio Grande do Norte (2), Alagoas (1), Maranhão (1), Mato Grosso do Sul (1), Goiás (1), Paraíba (1) e Rondônia (1)

 

Prefeitura de Codó, FC Oliveira e Alliance Química farão parceria para desinfecção de espaços públicos em Codó

Com o objetivo de conter a disseminação do Coronavírus na cidade, a Prefeitura de Codó, em parceria com as empresas FC Oliveira e Alliance Química Maranhão, e com o Corpo de Bombeiros, irá realizar o trabalho de limpeza e desinfectação de logradouros públicos de Codó e áreas de grande circulação de pessoas, como praças e mercados.


Capitão Belo, prefeito Nagib e empresário Chiquinho Oliveira

De acordo com o prefeito Francisco Nagib, a partir desta quarta-feira, dia 1 de abril, o Corpo de Bombeiros iniciará o trabalho de limpeza e desinfectação das ruas e espaços públicos com Hipoclorito de Sódio, fornecido gratuitamente pelas empresas FC Oliveira e Alliance Química.

O uso do produto em praças, mercados, calçadas, ruas, pátios de postos de combustíveis, supermercados e locais com grandes aglomerações, entre outros locais de grande circulação de pessoas, será de grande utilidade na prevenção e no combate ao Coronavírus em Codó”, explicou o prefeito.

Nota Ascom – PMC

Navio Costa Fascinosa continua em quarentena no Porto de Santos

Navio Costa Fascinosa atracado no Porto de Santos

Os 757 tripulantes do navio transatlântico Costa Fascinosa, atracado no Porto de Santos desde o último sábado (28), continuam em quarentena determinada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Sete tripulantes desembarcaram para ser hospitalizados. Dois testaram positivo para covid-19.

De acordo com a Anvisa, o prazo de quarentena de 14 dias começou a contar novamente no domingo (29) após o surgimento de casos sintomáticos a bordo. A contagem da quarentena recomeça a cada vez que um novo caso surge. Na prática significa que o período de bloqueio da embarcação segue em vigor e não tem prazo exato para acabar. O desembarque nessas condições é permitido somente em caso de necessidade de atendimento hospitalar.

Segundo a Anvisa, a situação da embarcação está sendo monitorada diariamente. Ainda não há nova inspeção agendada e isso vai depender da evolução dos casos a bordo. O navio também recebeu kits para teste rápido de covid-19, mas deverá aguardar a orientação da Anvisa para iniciar os exames. O Costa Fascinosa deve enviar relatórios diários para a Anvisa comprovando a de temperatura dos tripulantes e o mapa de localização das cabines dos tripulantes com sintomas e dos sem sintomas.

Entre as principais determinações para o navio está o isolamento de todos os tripulantes com sintomas, ainda que sem febre. Ou seja, tripulantes com qualquer sintoma respiratório (tosse, congestão nasal, dor de garganta, coriza, dispneia, entre outros) com ou sem febre devem ficar em ala específica de casos suspeitos. Todos os casos suspeitos devem ser colocados em quartos com varanda.

O Costa Fascinosa deve ainda reforçar diariamente, por meio de aviso sonoro, a obrigação de distância obrigatória de 2 metros entre as pessoas; pulverizar com detergente apropriado todas as embalagens recebidas, antes da entrada na embarcação, para distribuição ou armazenamento interno, incluindo as embalagens de alimentos, produtos de higiene, medicamentos e materiais de limpeza; orientar tripulantes a limpar as embalagens dos produtos de limpeza logo após o seu uso ou fornecer luvas descartáveis para a limpeza de cada cabine.

A Anvisa determinou que seja utilizado álcool 70% para a limpeza de corrimãos e botões de elevadores isolar todos os bebedouros da embarcação e providenciar garrafas individuais para cada tripulante; manter os dispensadores de papel toalha e sabonete líquido abastecidos. A limpeza deve ser feita por equipe utilizando Equipamento de Proteção Individual (EPI), mantendo braços e pernas cobertas e utilizando máscara, luvas, óculos e toucas para o manuseio de roupas, lençóis, toalhas e panos de limpeza. É preciso ainda desinfetar sistemas de ar condicionado seguindo o plano de limpeza do covid-19 e trocar filtros do sistema de ar que abastece a cozinha e cabines.

Costa Fascinosa

De acordo com a empresa responsável pelo transatlântico, a embarcação está em quarentena desde 20 de março, depois do desembarque dos sete tripulantes e a empresa está em colaboração com as autoridades brasileiras, com as quais está trabalhando para organizar o desembarque de todos os tripulantes de nacionalidade brasileira.

“As condições de saúde são constantemente monitoradas pela equipe médica a bordo, em colaboração com as autoridades sanitárias brasileiras. A companhia está fornecendo assistência a todos os membros da tripulação do Costa Fascinosa, aplicando os rigorosos protocolos de saúde, que prevê o isolamento em cabines individuais com varanda e serviço de quarto. O nível de saneamento a bordo foi elevado ainda mais para garantir a máxima higiene e segurança”, informou a empresa Costa Cruzeiros.Fonte Agência Brasil.

Bolsonaro anuncia R$ 200 bilhões para socorrer trabalhadores e empresas

O ministro da Casa Civil, Braga Netto, o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, participam de coletiva de imprensa no Palácio do Planalto

O presidente Jair Bolsonaro anunciou hoje (1º) cerca de R$ 200 bilhões em medidas para socorrer trabalhadores e empresas e ajudar estados e municípios no enfrentamento aos efeitos da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Em pronunciamento à imprensa no Palácio do Planalto, Bolsonaro explicou que, de hoje para amanhã, serão editadas três medidas provisórias (MP) e sancionado o projeto que prevê o auxílio emergencial de R$ 600 para trabalhadores informais, autônomos e sem renda fixa.

Ao lado do presidente, o ministro da Economia, Paulo Guedes, explicou que esse auxílio custará R$ 98 bilhões aos cofres públicos e deve beneficiar 54 milhões de brasileiros. “De forma que eles tenham recursos nos próximos três meses para enfrentar a primeira onda de impacto, que é a onda da saúde. Há uma outra onda vindo de desarticulação econômica que nos ameaça”, disse.

O governo federal também vai transferir R$ 16 bilhões para os fundos de participação dos estados e dos municípios. “É para reforçar essa luta no front, onde o vírus está atacando, os sistemas de saúde e segurança”, explicou Guedes.

Manutenção de empregos

De acordo com o ministro, as outras medidas são para ajudar as empresas na manutenção dos empregos. São R$ 51 bilhões para complementação salarial, em caso de redução de salário e de jornada de trabalho de funcionários, e R$ 40 bilhões (R$ 34 bilhões do Tesouro e R$ 6 bilhões dos bancos privados) de crédito para financiamento da folha de pagamento.

“Então a empresa que resolver manter os empregos, nós não só complementamos o salário como damos crédito para o pagamento. A empresa está sem capital de giro e reduziu, por exemplo, em 30% a jornada e o salário, nós pagamos 30% do salário. E ela está sem dinheiro para pagar os outros 70% que se comprometeu a manter, nós damos o crédito”, explicou.

Segundo o ministro Guedes, as medidas custarão ao Tesouro o correspondente a 2,6% do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país.

Conversa com Trump

O presidente Bolsonaro também disse que conversou hoje, por telefone, com o presidente dos Estados Unidos, Donald Tump sobre “esse problema que é mundial”. “Obviamente, estamos juntos na busca do melhor para os nossos países”, disse no pronunciamento à imprensa.

Mais cedo, em publicação no Twitter, Bolsonaro informou que trocou informações sobre o impacto da covid-19 e sobre as experiências no uso da hidroxicloroquina. “Na oportunidade, reafirmamos a solidariedade mútua entre os dois países”, escreveu.

A cloroquina, e sua variação hidroxicloroquina, está sendo testada para o tratamento de pacientes internados com covid-19. Esses medicamentos são utilizadas normalmente contra a malária, nos casos de lúpus e artrite reumatoide.Fonte Agência Brasil.

Cientistas chineses anunciam descoberta contra covid-19

Um profissional de saúde realiza um teste finalizado em um local de testes de coronavírus fora dos Serviços Comunitários de Saúde Internacionais no Distrito Internacional de Chinatown durante o surto de doença por coronavírus (COVID-19) em

Um grupo de cientistas chineses isolou vários anticorpos que considera “extremamente eficientes” para impedir a capacidade do novo coronavírus de entrar nas células, o que pode ser útil tanto para tratar quanto para prevenir a covid-19.

Atualmente, não existe tratamento comprovadamente eficaz para a doença, que surgiu na China e está se proliferando pelo mundo na forma de uma pandemia que já infectou mais de 850 mil pessoas e matou 42 mil.

Zhang Linqi, da Universidade Tsinghua, de Pequim, disse que um remédio feito com anticorpos como os que sua equipe descobriu poderia ser usado de forma mais eficaz do que as abordagens atuais, incluindo o que ele chamou de tratamentos “limítrofes”, como o plasma. O plasma contém anticorpos, mas é limitado pelo tipo de sangue.

No início de janeiro, a equipe de Zhang e um grupo do 3º Hospital Popular de Shenzhen começaram a analisar anticorpos do sangue colhido de pacientes recuperados da covid-19, isolando 206 anticorpos monoclonais que mostraram o que ele descreveu como uma capacidade “forte” de se ligar às proteínas do vírus.

Depois eles realizaram outro teste para ver se conseguiam de fato impedir que o vírus entrasse nas células, disse ele em entrevista à Reuters.

Entre os cerca de 20 anticorpos testados, quatro conseguiram bloquear a entrada viral, e desses dois foram “imensamente bons” para fazê-lo, disse Zhang.

Agora a equipe se dedica a identificar os anticorpos mais poderosos e possivelmente combiná-los para mitigar o risco de o novo coronavírus sofrer uma mutação.

Se tudo der certo, desenvolvedores interessados poderiam produzi-los em massa para testes, primeiro em animais e futuramente em humanos.

O grupo fez uma parceria com uma empresa de biotecnologia sino-norte-americana, a Brii Biosciences, na tentativa de “apresentar diversos candidatos para uma intervenção profilática e terapêutica”, de acordo com um comunicado da Brii.

“A importância dos anticorpos foi provada no mundo da medicina há décadas”, afirmou Zhang. “Eles podem ser usados para o tratamento de câncer, doenças autoimunes e doenças infecciosas”.

Os anticorpos não são uma vacina, mas existe a possibilidade de aplicá-los em pessoas do grupo de risco, com o objetivo de impedir que contraiam a covid-19.

Normalmente não transcorrem menos de dois anos para um remédio sequer obter aprovação para uso em pacientes, mas a pandemia de covid-19 acelera os processos, disse ele, e etapas que antes seriam realizadas sequencialmente agora estão sendo feitas em paralelo.

*Agência de notícias britânica

Brasil tem 201 mortes por covid-19 e 5.717 casos confirmados

O número de mortes em razão do novo coronavírus chegou a 201, nesta terça-feira (31), conforme nova atualização divulgada hoje pelo Ministério da Saúde. O resultado marca um aumento de 26% em relação a ontem (30), quando foram registrados 159 óbitos.

As mortes ocorreram em São Paulo (136), Rio de Janeiro (23), Ceará (sete), Pernambuco (seis), Piauí (quatro), Rio Grande do Sul (quatro), Paraná (três), Amazonas (três), Distrito Federal (três), Minas Gerais (duas), Bahia (duas), Santa Catarina (duas), Alagoas (uma), Maranhão (uma), Goiás (uma), Rondônia (uma) e Rio Grande do Norte (uma).

O número de novas mortes, 42, foi o maior da série histórica. O maior quantitativo de óbitos em um dia até então tinha sido 23, no dia de ontem (30).

Em relação ao perfil, 41,4% eram mulheres e 68,6%, homens. Em relação à idade, 89% estavam na faixa acima de 60 anos. Em relação às complicações de saúde, a maioria (107) apresentavam cardiopatia,  75 tinham diabetes, 33 pneumopatia e 22 alguma condição neurológica.

Já os casos confirmados saíram de 4.579 para 5.717. O resultado de novas 1.138 pessoas infectadas em um dia foi mais que o dobro do maior registrado até agora, de 502 novos casos no dia 27 de março.

screenshot_2020-03-31_coronavirus_brasil
Ministério da Saúde/Divulgação

Os estados com mais casos são São Paulo (2.339), Rio de Janeiro (708), Ceará (390), Distrito Federal (332) e Minas Gerais (275). A menor incidência está em estados da Região Norte, como Rondônia (oito), Amapá (10), Tocantins (11) e Roraima (16).

O índice de letalidade, que estava abaixo de 2% no final de semana, ficou em 3,5% no balanço de hoje, o mesmo registrado ontem.

As hospitalizações saíram de 757, ontem, para 1.075, hoje.

Manutenção do isolamento

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, argumentou que a pandemia não entrou na curva ascendente porque houve “conscientização de todo mundo”. Mas a situação de hoje reflete a dinâmica de 14 dias atrás. “Não temos nem sete dias que estamos ficando em casa. Por isso que é importante manter”, defendeu.

Mandetta reforçou a importância das medidas de isolamento social, mas acrescentou que o governo discute as condições para uma movimentação de abertura, o que chamou de “condicionantes”.

Entre elas, o abastecimento dos profissionais de saúde com equipamentos de proteção individual (EPIs), que ainda são insuficientes, de acordo com levantamentos que vêm sendo realizados por entidades como o Conselho Federal de Medicina e a Associação Médica Brasileira. O ministro informou que foi finalizada compra de 300 milhões de kits desses equipamentos.

“No momento vamos fazer o máximo de distanciamento social, o máximo de permanência nas residências para que, quando chegarmos no momento de estarmos preparados, vamos monitorando pela epidemiologia. Vai ser um trabalho de precisão. Nem tão amarrado que possamos ser arrastados, nem tão acelerado que possamos cair numa cachoeira”, declarou.

Sistema de monitoramento

Mandetta anunciou que o governo colocará em funcionamento um sistema de monitoramento dos brasileiros que chegará a 125 milhões de pessoas. A plataforma, baseada em inteligência artificial, entrará em contato com os brasileiros na base de dados do governo e obterá informações sobre a condição de saúde.

“O conjunto dessas informações será usado para que a gente antecipe quem é risco, onde está, o nome e isso deve ser grande ferramenta de gestão de pessoas”, informou o titular da pasta.

O governo divulgou os dados sobre o avanço de covid-19 em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto. Participaram o ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto; da Economia, Paulo Guedes; da Saúde, Luiz Henrique Mandetta; e da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.Fonte Agência Brasil.

União entre Governo e empresas garante mais equipamentos para combater o Covid-19 no MA

Equipamentos como respiradores, máscaras, termômetros e álcool 70 foram algumas das doações recebidas pelo Governo do Maranhão de diversas empresas. A ação, articulada pela Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), faz parte da luta para combater e prevenir o Covid-19.

O principal objetivo dos empresários é apoiar o poder público na atuação contra a pandemia. O movimento está concentrado na aquisição de aparelhos de ventilação pulmonar e respiração assistida e em soluções de álcool 70, e máscaras, indicadas a profissionais de saúde e suspeitos de contaminação.

Ao todo foram arrecadados mais de R$ 10 milhões para a compra de máscaras, termômetros, testes rápidos e respiradores doados por empresas de diversos segmentos, como Alumar, Alfa Engenharia, Canopus, Centro Elétrico, COC, Comercial Rofe, Constans, Dínamo Engenharia, Dimensão, Eneva, EDP Transmissão de Energia, Escudo, Fribal, Faculdade ISL Myden, Gera Maranhão, Grupo Mateus, LavroNorte, Lua Nova, Omega, Potiguar, Revest Comércio e Serviços, Roque Aço e Cimento, RJ Distribuições, RBC Construções, Silveira Engenharia, Sinduscon e Suzano.

Já as empresas Agro Serra, Ambev, Grupo Maratá, FC Oliveira, Guaraná Psiu e Solar Coca-Cola se uniram e estão doando mais de 500 mil litros de álcool que serão destinados para unidades de saúde do estado.

O secretário da Seinc, Simplício Araújo, explica que as doações são um grande ato de união e solidariedade. “O setor público e a iniciativa privada estão trabalhando juntos para que possamos combater o mais breve possível esse vírus. Esses insumos se somam às esforços do governador Flávio Dino e ajudam na celeridade do combate e prevenção da doença”, disse Araújo.

Mais doações

Empresas da área de mídia também estão engajadas na luta contra o Covid-19 junto com o Governo do Maranhão. A JC Decaux doou R$ 150 mil em mobiliários urbanos; a Novagraf, R$ 20 mil para produção de cartazes e a Brasil Balões R$ 6.600 para mídia e blimps.

Outro reforço veio da 99 Tecnologia, que doou 4 mil corridas de táxi para profissionais de saúde do Governo do Maranhão.

Ascom

#COMPRE DO PEQUENO: participe da Campanha de incentivo ao pequeno empreendedor

Estamos vivenciando um momento ímpar em nossa geração, onde um inimigo desconhecido nos pegou despreparados para combatê-lo. Como medidas de contenção para evitar um caos ainda maior, as autoridades competentes não tiverem outra alternativa senão a que determinou o fechamento de quase todo o comércio nacional, onde continuam operando somente os serviços considerados essências.

Em nossa região não foi diferente, nossos bravos trabalhadores tiveram que aderir as recomendações nacionais, estaduais e municipais. Se por um lado se evita um problema, por outro trazemos à tona uma outra pandemia, a do desemprego. As duas são extremamente graves, e devemos ter consciência e responsabilidade para enfrenta-las e supera-las.

Dada a situação que atravessamos, precisamos inovar de modo que juntos, unidos, consigamos superar mais essa fase difícil que enfrentamos. Foi pensando nessa superação, em ajudar na divulgação de seu negócio, que Dra Ana Thamires, proprietária da Multiclínica Branco e Oliveira, em Timbiras, está lançando uma campanha de apoio ao pequeno empreendedor, é a campanha #CompreDoPequeno.

Para participar é muito fácil, basta você fazer uma postagem em suas redes sociais divulgando o seu negócio, marcar dra Ana Thamires pelo instagran, no @dra.anathamires, e ela irá compartilhar sua postagem com seus amigos internautas, dando maior visibilidade ao seu negócio, e com certeza um bom retorno financeiro.

O momento exige cautela, mas também exige atitude. Não podemos nos entregar, temos que inovar. Inove, participe da #CompreDoPequeno.

Juntos contra o coronavírus.

Ascom