Blog do Walison - Em Tempo Real

UEMA divulga novas datas do PAES 2021

Por: Secom/ Governo do Maranhão | Data: 06/05/2021 07:21

A Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) divulgou, nessa quarta-feira (5), as novas datas de aplicação das provas do Processo Seletivo de Acesso à Educação Superior (PAES) 2021. As provas serão realizadas nos dias 4 e 5 de julho.

Por conta da pandemia da Covid-19, as provas serão aplicadas em etapa única e serão compostas por 44 questões objetivas de múltipla escolha e uma produção textual. As duas provas terão o mesmo perfil e grau de dificuldade. Os candidatos foram divididos por dia, de forma que haja um equilíbrio na quantidade de candidatos por dia.

O PAES 2021 irá selecionar candidatos para os cursos de graduação, na modalidade presencial, para o primeiro e segundo semestres de 2021. São ofertadas 4.080 vagas para os campi da UEMA e 855 para a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL). 

O candidato poderá acessar o cartão de confirmação de inscrição, de 28 de junho a 4 de julho de 2021, no site www.paes.uema.br.

Os novos cronogramas do Processo Seletivo dos Cursos de Formação de Oficiais, respectivamente PMMA e CBMMA, serão divulgados em data posterior. 

Para mais informações, acesse o edital de retomada do PAES 2021.Edital de retomada e retificação do PAES 2021Baixar

Trabalhadores nascidos em abril podem sacar auxílio emergencial

Trabalhadores informais e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos em abril podem sacar, a partir de hoje (5) a primeira parcela do auxílio emergencial 2021. O dinheiro havia sido depositado nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal em 13 de abril.

Os recursos também poderão ser transferidos para uma conta corrente, sem custos para o usuário. Até agora, o dinheiro podia ser movimentado apenas por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de contas domésticas (água, luz, telefone e gás), de boletos, compras em lojas virtuais ou compras com o código QR (versão avançada do código de barras) em maquininhas de estabelecimentos parceiros.

Em caso de dúvidas, a central telefônica 111 da Caixa funciona de segunda a domingo, das 7h às 22h. Além disso, o beneficiário pode consultar o site auxilio.caixa.gov.br.

O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Neste ano, a nova rodada de pagamentos, durante quatro meses, prevê parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil: as famílias, em geral, recebem R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150.

Regras

Pelas regras estabelecidas, o auxílio será pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não há nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial.

Agência Brasil elaborou um guia de perguntas e respostas sobre o auxílio emergencial. Entre as dúvidas que o beneficiário pode tirar estão os critérios para receber o benefício, a regularização do CPF e os critérios de desempate dentro da mesma família para ter acesso ao auxílio.

* Colaborou Andreia Verdélio

Ator Paulo Gustavo morre de covid-19

O ator Paulo Gustavo, de 42 anos, morreu hoje (4) vítima de complicações causadas pela covid-19. Ele estava internado desde 13 de março no Hospital Copa Star, em Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro.

O estado de saúde piorou desde domingo (2). Na tarde desta terça-feira, a família do ator divulgou uma nota classificando o quadro clínico do ator como “irreversível”. A informação foi divulgada na conta oficial do Twiter do comediante. Segundo a nota, desde o último domingo o quadro do ator vinha se deteriorando.

“Internado desde 13 de março, no Rio de Janeiro, com quadro de covid-19, Paulo Gustavo permanece  no Serviço de Terapia Intensiva. A equipe médica acaba de emitir, novo boletim: Após a constatação da embolia gasosa disseminada ocorrida no último domingo, em decorrência de fístula brônquio-venosa, o estado de saúde do paciente vem deteriorando de forma importante. Apesar da irreversibilidade do quadro, o paciente ainda se encontra com sinais vitais presentes.”

Na mesma nota, a família do ator agradece o carinho dos fãs e admiradores e pede orações a Paulo Gustavo e às demais pessoas acometidas pela covid-19. 

Carreira

Paulo Gustavo nasceu em Niterói, no Rio de Janeiro, e iniciou a carreira em 2006, quando foi indicado ao prêmio Shell no ano de estreia de Minha Mãe é uma Peça, comédia que montou para o teatro e que o consagrou nacionalmente quando foi adaptada para o cinema. 

Na personagem Dona Hermínia, Paulo Gustavo homenageou sua própria mãe, Dea Lúcia, em uma interpretação que conquistou a identificação do público e garantiu a continuação, Minha Mãe é uma Peça 2, que também foi sucesso de bilheteria.

Em 15 anos de carreira, Paulo Gustavo fez cinco peças de destaque para o teatro e também atuou na TV, com cinco programas no canal Multishow: 220 Volts – A Série, Vai Que ColaPaulo Gustavo na EstradaA Vila e Além da Ilha.

Paulo Gustavo casou-se em 2015 com Thales Bretas, com quem tem dois filhos: Romeu e Gael, de um ano e oito meses.Por Agência Brasil

Desde o início da pandemia o estado já registrou 268.997 casos e 7.403 óbitos pelo novo coronavírus.

Nesta terça-feira (4), o Maranhão chegou a 268.997 casos e 7.403 óbitos por Covid-19, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Nas últimas 24 horas, foram registrados 37 mortes e 980 casos. Dos novos registros, 178 registros foram na Grande Ilha (São LuísSão José de RibamarPaço do Lumiar e Raposa), 51 em Imperatriz e 752 nos demais municípios do estado.

O governo do estado do Maranhão tem tomado todas as medidas possíveis afim de afim de diminuir o número de pessoas contaminadas mais infelizmente ainda tem um número grande de pessoas que não respeitam as regras de distanciamento e estão levando o vírus para dentro de suas casas, é preciso que todos se cuidem e cuidem do próximo.

Investimentos da Equatorial Maranhão ampliam fornecimento de energia na região dos cocais

Para garantir a continuidade e melhoria do sistema elétrico da região leste do estado, a Equatorial Maranhão vem investindo em obras que beneficiarão mais de 180 mil clientes. Com investimento de mais de 12 milhões, o conjunto de obras reforça o compromisso da Companhia em contribuir com o desenvolvimento do Estado.

A entrega dessas obras concentra os esforços em atender a expansão da demanda de energia elétrica no leste maranhense, região dos cocais. “O plano de obras foi o resultado da necessidade de melhoria contínua da qualidade e continuidade no fornecimento de energia, bem como suporte ao crescimento da demanda por energia elétrica na região”, ressalta o Executivo de Manutenção da Equatorial Maranhão, Celiomar Alencar Júnior.

Timon, o quarto município em população do estado, recebeu melhorias na subestação, o que aumentou em 77% a oferta de energia elétrica para a cidade, melhorando a distribuição da energia para a população. “A ampliação dessa subestação aumentou a capacidade para atender clientes De Timon e Matões”, destaca Celiomar.

Já em Caxias, algumas melhorias na qualidade e continuidade da energia também estão previstas para acontecer. Como boa parte da economia da cidade é voltada para o seguimento do comércio, as melhorias na energia irão gerar desenvolvimento para a cidade, que de acordo com os últimos dados apresentados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostraram que o comércio caxiense contribui com mais de 45% do total da economia da cidade.

Para a comerciária de Caxias, Keliane Silva, o acesso a essa energia de qualidade é fundamental para o crescimento do negócio e da cidade. “Como lojista é importante esse acesso a uma energia de excelência, já que dependo diariamente para o nosso sistema de gerenciamento de vendas, controle de estoque e internet para vendas online e no cartão de crédito. Além disso, a energia proporciona uma iluminação adequada na loja, o uso do ar condicionado e sistema de segurança; tudo para levarmos conforto e segurança para nossos clientes. Uma energia de qualidade favorece o crescimento do pequeno negócio, da nossa cidade e consequentemente da economia local”, afirma a empresária.

Além de Caxias, municípios próximos como Aldeias Altas, Codó, Matões, Parnarama e São João do Sóter também serão beneficiados com as obras da região

Já o município Buriti ganhou uma nova subestação para contribuir com a continuidade da energia fornecida. Com investimento de mais de 2 milhões, 12.294 clientes foram beneficiados. Essa obra leva também uma energia de qualidade para os municípios de Buriti de Inácia Vaz, Coelho Neto, Afonso Cunha e Duque Bacelar.

Continuando com os investimentos a todo vapor, as obras da subestação de Palestina trarão melhorias para mais de 31 mil clientes das cidades do Brejo, Santa Quitéria, Milagres do Maranhão, São Bernardo e Santana do Maranhão. “Com o reforço ao sistema, busca-se a melhoria dos níveis de tensão entregues aos clientes na região. Trata-se da primeira etapa de uma obra que garantirá solução estrutural e atendimento a novos mercados em longo prazo para o sistema elétrico”, pontua Celiomar.

Todos esses investimentos são fruto do compromisso da Equatorial Maranhão em fornecer uma energia limpa e de qualidade, serviço essencial à dignidade e desenvolvimento da população

Assessoria de Imprensa Equatorial Maranhão

CONTRARIANDO A RAZÃO “Vereadores” de Codó Aprovam lei que Fere Legislação Estadual e Federal e Autoriza postos de Combustível em locais Proibidos

Na ânsia de agradar interesses empresariais, acobertados pelo discurso da geração de empregos,  a maioria dos vereadores de Codó aprovou, na sessão ordinária do dia 04 de  maio de 2021, ontem, portanto,  uma lei municipal que fere a  Resolução 273 do CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE e a legislação estadual em vigor.

Os parlamentares colocaram em votação uma emenda apresentada pelo vereador Antonio Luz que sugeriu duas coisas ao projeto de lei dos Postos de Combustíveis:

1 – Que a área a ser utilizada para construção de um posto de combustível fosse de até 500 metros quadrados;

2 – Que a distância mínima entre os postos de combustível de Codó fosse de 100 metros.

Contra isso, só 8 vereadores votaram contra, por isso a emenda passou sem problemas.

DESRESPEITO À RESIDÊNCIAS, IGREJAS , ESCOLAS E HOSPITAIS

Já quando Dr. Nelson, com o apoio de Delegado Rômulo, apresentou uma emenda para tentar adequar a nova lei municipal às normas do Estado do Maranhão e à legislação federal esta foi, ignorantemente, rejeitada.

Ambos tentaram argumentar que postos de combustível não podem ficar a menos de 100 metros de casas, igrejas, escolas, hospitais, clínicas médicas, indústrias, nem mesmo de estabelecimentos comerciais.

Mas a maioria, rindo e fazendo deboche da minoria, recusou a emenda e a reprovou.

Na transmissão ao vivo, pelo instagram de Araújo Neto, gravei o áudio de um parlamentar de ‘alta patente’, em tom de desdém , justificando a reprovação da medida mais acertada com a frase “TEM MUITO UMBANDISTA AQUI, CIô’ seguida de risos da maioria numa referência à proximidade com as igrejas.

A norma do CONAMA, que visa evitar desastres maiores em casos de explosões,  está na resolução  273, de 29/11/2000, que diz:

Art. 5º – O órgão ambiental competente exigirá para o licenciamento ambiental dos estabelecimentos contemplados nesta Resolução, no mínimo, os seguintes documentos:

I – Para emissão das Licença Prévia e de Instalação:
c) croqui de localização do empreendimento, indicando a situação do terreno em relação ao corpo receptor e cursos d’água e identificando o ponto de lançamento do efluente das águas domésticas e residuárias após tratamento, tipos de vegetação existente no local e seu entorno, bem como contemplando a caracterização das edificações existentes num raio de 100 m com destaque para a existência de clínicas médicas, hospitais, sistema viário, habitações multifamiliares, escolas, indústrias ou estabelecimentos comerciais;

NO ESTADO

O vereador delegado Rômulo destacou em sua fala que o Corpo de Bombeiros não libera documentação de sua competência quando o posto de combustível está num raio de 100 metros destes locais citados pela resolução CONAMA.

O parlamentar também citou exemplo de um posto que está nesta situação, ou seja, sem receber a licença por causa da proximidade com uma igreja dentro de Codó.

Ainda assim, a lei municipal passou. Fonte blogdoacelio

Trabalhadores nascidos em março podem sacar auxílio emergencial

Trabalhadores informais e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos em março podem sacar, a partir de hoje (4) a primeira parcela do auxílio emergencial 2021. O dinheiro havia sido depositado nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal em 11 de abril.

Os recursos também poderão ser transferidos para uma conta corrente, sem custos para o usuário. Até agora, o dinheiro podia ser movimentado apenas por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de contas domésticas (água, luz, telefone e gás), de boletos, compras em lojas virtuais ou compras com o código QR (versão avançada do código de barras) em maquininhas de estabelecimentos parceiros.

Em caso de dúvidas, a central telefônica 111 da Caixa funciona de segunda a domingo, das 7h às 22h. Além disso, o beneficiário pode consultar o site auxilio.caixa.gov.br.

O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Neste ano, a nova rodada de pagamentos, durante quatro meses, prevê parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil: as famílias, em geral, recebem R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150.

Regras

Pelas regras estabelecidas, o auxílio será pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não há nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial.

Agência Brasil elaborou um guia de perguntas e respostas sobre o auxílio emergencial. Entre as dúvidas que o beneficiário pode tirar estão os critérios para receber o benefício, a regularização do CPF e os critérios de desempate dentro da mesma família para ter acesso ao auxílio.

* Colaborou Andreia Verdélio

MEC divulga calendário de inscrições do Sisu, ProUni e Fies

Sede do Ministério da Educação, em Brasília.

O Ministério da Educação (MEC) divulgou nessa segunda-feira (3) o calendário com os prazos de inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies). Os programas aumentam as chances de ingresso no ensino superior.

Sisu

Sisu é o sistema informatizado gerenciado pelo MEC que seleciona candidatos a vagas em cursos de graduação ofertadas pelas instituições públicas de educação superior.

Veja o calendário:

3 a 6 de agosto – Período de inscrição;

10 de agosto – Resultado da chamada única;

11 a 16 de agosto – Período para matrícula dos selecionados em chamada única.     

Lista de Espera

10 a 16 de agosto – Prazo para manifestação de interesse em participar da lista de espera;

18 de agosto – Disponibilização da lista de espera para as instituições de ensino participantes;   

19 de agosto – Início da convocação por parte das instituições de ensino dos selecionados por meio da lista de espera.

ProUni

Prouni concede bolsas de estudo integrais e parciais de 50% em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, para estudantes brasileiros ainda não graduados, em instituições privadas de ensino superior.

Confira as datas:

13 a 16 de julho – Período de inscrição;                           

20 de julho – Resultado da primeira chamada;             

20 a 28 de julho –  Período para comprovação de informações da inscrição dos pré-selecionados em 1ª chamada e processo seletivo próprio das instituições de ensino superior, quando houver;

3 de agosto – Resultado da segunda chamada;             

3 a 11 de agosto – Período para comprovação de informações da inscrição dos pré-selecionados em 2ª chamada e processo seletivo próprio das IES, quando houver.

Lista de espera                            

17 e 18 de agosto – Prazo para manifestação de interesse em participar da lista de espera;     

20 de agosto – Divulgação da lista de espera para as instituições de ensino;     

23 a 27 de agosto – Período para comprovação de informações da inscrição dos pré-selecionados por meio da lista de espera.

Fies

Fies é a política educacional que concede financiamentos a estudantes de cursos superiores não gratuitos e com avaliação positiva no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). 

Saiba mais:

27 a 30 de julho – Período de inscrição;

3 de agosto – Resultado dos pré-selecionados em chamada única;

4 a 6 de agosto – Prazo para complementação da inscrição dos pré-selecionados na chamada única.

Lista de Espera*

4 a 31 de agosto – Período para convocação dos pré-selecionados por meio da lista de espera.

*Quem não foi pré-selecionado na chamada única é automaticamente incluído na lista de espera.

 Fies – Vagas remanescentes

8 a 10 de setembro – primeiro período de inscrição para candidatos não matriculados e matriculados;

27 a 29 de outubro – segundo período de inscrição somente para candidatos matriculados. Por Agência Brasil

Vacinas Pfizer chegam ao MA para reforço da campanha de imunização contra a Covid-19

Vacinas são acondicionadas em ultrafreezers (Foto: Ruy Barros)

O Maranhão recebeu, na tarde dessa segunda-feira (3), o primeiro lote de vacinas Pfizer. Os imunizantes irão reforçar a campanha de vacinação contra o novo coronavírus no estado. São 10.530 doses para a aplicação da primeira dose no público de pessoas com comorbidades, gestantes, puérperas e pessoas com deficiência permanente. Ao chegarem na Rede de Frio da Secretaria de Estado da Saúde, as vacinas foram armazenadas em ultrafreezers, aparelhos que garantem a conservação adequada da vacina e podem chegar à temperatura de –86°. 

A superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES, Tayara Costa Pereira, explica que, por recomendação do Ministério da Saúde, apenas a capital, São Luís, irá receber esse imunizante. As vacinas para a aplicação da segunda dose do imunizante devem ser enviadas ao Maranhão em 12 semanas.  

“A Pfizer é uma vacina que precisa de temperatura diferenciada, ela vem do Ministério da Saúde com o uma temperatura de -80° e quando chega aqui passa por um descongelamento e fica em uma temperatura de -20° a -25°. Nesta madrugada, ela passará por outro processo de descongelamento e ficará numa temperatura de 2° a 8° para nesse momento ser entregue ao município de São Luís, que terá apenas cinco dias para realizar a imunização com essas doses”, explica a superintendente Tayara Pereira.

Primeiro lote de vacinas da Pfizer chega ao estado (Foto: Ruy Barros)

Junto com a vacina Pfizer, chegaram também 173.250 doses da vacina AstraZeneca para dar continuidade a campanha de imunização contra a Covid-19 nos 217 municípios maranhenses. Essas doses também serão destinadas ao público de pessoas com comorbidades, gestantes, puérperas e pessoas com deficiência permanente, além de pessoas de 60 a 64 anos. Os imunizantes começam a ser distribuídos ainda esta semana. 

Com a nova remessa, o Maranhão totaliza 1.907.370 doses recebidas, sendo 830.000 da AstraZeneca, 1.066.840 doses da CoronaVac e 10.530 doses da Pfizer. Por SECOM – MA

Entrega de 11 milhões de doses de vacina contra Covid-19 permite ao Brasil antecipar meta de imunização


O Brasil abre a semana com aproximadamente 11 milhões de novas vacinas contra o coronavírus à disposição. Cerca de 7 milhões chegaram ainda na sexta-feira, produzidas na Fiocruz e no Instituto Butantan. Outro lote, de 4 milhões, aterrissou no país no fim de semana, enviado pelo consórcio global Covax Falicity.

As novas remessas que chegaram possibilitam que o governo federal entre em um ritmo considerado ideal pelos pesquisadores — em seus cálculos, o país precisaria de 1,5 milhão de doses aplicadas por dia para concluir a proteção dos grupos prioritários, formado por 80,5 milhões pessoas, ainda neste semestre.

No entanto, a atual remessa dura apenas dez dias, e é preciso outras igualmente expressivas para que o país permaneça em um ritmo ideal para a campanha de imunização.

No domingo, seis capitais brasileiras (Aracaju, Fortaleza, Porto Alegre, Porto Velho, Recife e Rio de Janeiro) anunciaram a suspensão da aplicação da segunda dose da CoronaVac por falta de vacinas. A escassez pode ser corrigida ainda nesta semana: segundo o colunista do Globo Lauro Jardim, o Instituto Butantan prometeu entregar 1 milhão de doses na próxima quinta-feira.

Cerca de 31 milhões de pessoas já receberam ao menos uma dose de imunizante contra a Covid-19, o equivalente a 15% da população. No mês de abril foram aplicadas, em média, 816 mil doses diárias. Até o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, admitiu que, mantida essa marcha, a vacinação dos grupos prioritários seria concluída apenas em setembro. O atraso no cronograma foi atribuído a problemas nas remessas de insumos, que ainda não são fabricados no Brasil.

Das vacinas integradas neste fim de semana ao sistema de saúde, 10,5 milhões são da AstraZeneca — 6,5 milhões foram produzidas na Fiocruz, parceira brasileira da farmacêutica, e 4 milhões são da Covax Facility. Outras 420 mil doses são da CoronaVac, fabricadas pelo Instituto Butantan.

“Vacinamos menos de 1 milhão, e o ideal seria ao menos 1,5 milhão (ao dia)”, descreve. “Difícil saber se conseguiremos outras remessas com o mesmo porte nos próximos meses. E muitas pessoas que receberam uma dose ainda não estão devidamente protegidas, porque a imunidade é adquirida apenas um mês depois.”

Para o infectologista, o governo deveria acelerar a busca por novas marcas, além da AstraZeneca e da CoronaVac, para garantir outras remessas expressivas de vacinas. A Pfizer, por exemplo, só enviou ao país 1 milhão, das 100 milhões de doses compradas, e sua distribuição será restrita aos grandes centros.

Outro negócio promissor, segundo Chebabo, seria a aplicação da vacina da Janssen, que ocorre em dose única, e portanto aceleraria o processo de imunização. Seu uso emergencial foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, mas seria preciso antecipar a entrega das doses, procedimento que, segundo o cronograma, começará apenas no terceiro trimestre.

De acordo com João Viola, presidente do comitê científico da Sociedade Brasileira de Imunologia, a nova leva fará com que o número de vacinados passe de 15% para 20% da população. É, segundo ele, uma evolução, mas ainda distante do “marco satisfatório”, que seria ter 60% de pessoas imunizadas.

Outros países, como Reino Unido, Israel e EUA, contrapõe Chebabo, começaram a apresentar queda de mortes e casos quando atingiram cerca de 40% a 50% da população acima de 18 anos vacinada. Mas ele pondera que os imunizantes usados nesses países têm uma eficácia maior que a CoronaVac, que representa a maior parte das vacinas aplicadas até agora no Brasil.

“É um ganho para idosos, profissionais de saúde, pessoas com comorbidade e professores, cuja inclusão no grupo prioritário foi fundamental para um possível retorno gradual à rede de ensino”, elogia Viola. “Se conseguirmos manter o recebimento de vacinas nesse ritmo satisfatório, talvez essas categorias estejam plenamente vacinadas ainda neste semestre, o que vai desafogar nosso sistema de saúde.”

O restante da população poderia atingir a segunda dose de imunização até setembro, calcula Viola, caso o país explore o seu potencial para produção e distribuição de vacinas. Do contrário, a quantidade necessária de pessoas imunizadas para manter a taxa de transmissão do coronavírus sob controle seria atingida apenas no fim do ano.

“O Brasil tem capacidade comprovada de vacinar 2 milhões de pessoas por dia. Faltam imunizantes por diversos motivos, como a dependência de importações de insumos farmacêuticos ativos (IFAs), que são disputados por diversos países, e a falta de tecnologia para produzirmos uma vacina nacional, que seria adequada às características da epidemia em nossa população”, explica.

Outro obstáculo para a imunização em massa, segundo Viola, é o desconhecimento sobre o tempo de proteção ao vírus proporcionado pela vacina. Trata-se, por isso, de mais uma razão para que os cuidados básicos contra a Covid-19 sejam mantidos: o uso de máscaras, a higienização com álcool em gel e o distanciamento social, que precisam durar até que a taxa de mortalidade da pandemia caia significativamente.

Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações, acredita que a primeira dose da vacinação de idosos pode ser concluída neste semestre. Como o intervalo entre as doses da AstraZeneca é de três meses, é possível que algumas pessoas em que ela foi aplicada só estejam com a carteira de vacinação em dia depois de julho.

“A cobertura vacinal não chega a 100% porque algumas pessoas não voltam para receber a segunda dose. Então, vamos chamando outras pessoas”, assinala. “O próximo passo é levar a campanha de vacinação a pessoas com doenças crônicas.”

Kfouri, no entanto, destaca que a vacinação não será, em si, a responsável por reduzir a transmissão do coronavírus.

“O objetivo da vacinação é reduzir os casos graves, ela não acaba com a infecção”, ressalta. “O Chile, por exemplo, imunizou quase 40% da população e tem atualmente uma das maiores taxas de transmissão do vírus. A verdadeira vacina é o distanciamento social.”

Na avaliação de Kfouri ainda é cedo para afirmar qual porcentagem da população precisa ser vacinada contra a Covid-19 para dar ao Brasil uma margem de segurança sobre a doença. Isto porque ainda não está claro por quanto tempo os imunizantes garantem proteção, se haverá necessidade de revacinar os grupos e se as vacinas existentes serão eficazes contra as novas variantes ou se será preciso fazer adaptações para garantir proteção contra as novas cepas do coronavírus.

Fonte: O Globo