Blog do Walison - Em Tempo Real

Mega-Sena pode pagar R$ 22 milhões neste sábado

Mega-Sena pode pagar R$ 22 milhões neste sábado (20) — Foto: Marcelo Brandt/G1
Mega-Sena pode pagar R$ 22 milhões neste sábado (20) — Foto: Marcelo Brandt/G1

O concurso 2.171 pode pagar um prêmio de R$ 22 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h (horário de Brasília) deste sábado (20) em São Paulo (SP).

Para apostar na Mega-Sena 

As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país ou pela internet. A aposta mínima custa R$ 3,50.

Probabilidades

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Ataque de Bolsonaro é uma “honraria”, diz Flávio Dino

Flávio Dino reagiu aos ataques de Jair Bolsonaro, que ontem disse que “desses governadores de ‘paraíba’, o pior é do Maranhão”.

Para Dino, um ataque do presidente da República é uma “honraria”.

“A cabeça dele [Bolsonaro] é movida pelo confronto, e o coração, infelizmente, está possuído de ódios”, afirmou Dino. “Só sei que sou o pior dos gestores na visão dele, o que para mim é uma honraria.”Por: Blog do John Cutrim

Governador bate papo sobre educação com estudantes de Vitorino Freire


Estudantes foram recebidos pelo governador no Palácio dos Leões. (Fotos: Gilson Teixeira)

O governador Flávio Dino recebeu, na tarde desta quinta-feira (18), no Palácio do Leões, um grupo de alunos do 8º ano de escola municipal Unidade Integrada Newton Bello, de Vitorino Freire. Os alunos vieram à capital maranhense para uma aula diferente: conhecer de perto onde começou a história do Maranhão, em visita a pontos turísticos, museus e centros artísticos.

Ao fim do passeio, os meninos e meninas encontram com o governador Flávio Dino e o secretário Felipe Camarão, para um bate papo sobre a importância da educação. Os adolescentes ouviram com atenção os conselhos e ensinamentos do governador, que é professor por profissão, sobre a educação como único caminho emancipatório na vida.

“Independente dos caminhos profissionais que vocês venham a trilhar, o importante é que vocês não desistam da escola. É o espaço mais importante para que vocês possam ter liberdade. Às vezes a gente pensa que escola é escravidão, é obrigação, é chato, mas a verdade é que a escola é o caminho da liberdade, porque vocês só terão liberdade de ser quem escolherem, na vida adulta, se vocês estudarem bastante na escola”, defendeu Flávio Dino, em conversa com os estudantes.

A professora de História da escola Newton Bello, Francisca de Oliveira, preocupada com a desmotivação com os estudos do alunos, prestes a entrarem no ensino médio, propôs o projeto de visita à São Luís, como uma aula estimuladora. Ela contactou, pelas redes, o governador para dar uma palavra de incentivo aos estudantes. A ideia foi prontamente acatada por Flávio Dino.

“Estamos muito felizes porque o governador nos recebeu com todo carinho e atenção. O nosso objetivo com esse passeio surgiu, na verdade, de uma necessidade que a gente enfrenta todos os dias na sala de aula, que são os alunos desmotivados em estudar. E encontramos nesse passeio uma forma de estimular. Nesse encontro com o governador, reafirmamos que a educação ainda é o melhor caminho”, destacou a educadora.


Estudantes foram recebidos pelo governador no Palácio dos Leões. (Fotos: Gilson Teixeira)

Depois de visitar o Centro Histórico, museus, o Palácio dos Leões e o Espigão Costeiro, a Natália, de 13 anos, ainda tinha pique para mais passeios. Ela disse que vai voltar mais motivada para Vitorino Freire. “O projeto da escola foi uma boa ideia para conhecer mais a História do Maranhão e também para conhecer o governador Flávio Dino, que é uma pessoa muito educada e nos recebeu muito bem”, compartilhou Natália, que elegeu o Palácio dos Leões como o lugar mais bonito que conheceu em São Luís.

Ascom

Policia Civil Efetua Prisão de Bandidos Fortemente Armados em Timon – MA

A Polícia Civil do Maranhão prendeu em Timon, em ações contra a criminalidade na região, dois foragidos do Piauí, identificados por Gustavo Vinícius Alves das Chagas e Alaílson de Sousa Silva. Eles foram presos pelo cumprimento de Mandado de Prisão. As prisões dos dois foram pelos cometimentos de crimes nas ações penais pelos crimes de homicídio e tráfico de entorpecentes em Teresina/PI. Eles foram presos nas primeiras horas desta quinta-feira (17), em residências diferentes no município de Timon/MA.

A operação realizada nesta quarta-feira, por meio da Polícia Civil do Maranhão, através da Denarc de Timon, da Delegacia Regional de Homicídios de Timon (DRH) e o Grupo de Pronto Emprego (GPE) da 18º DRPC de Timon, resultando nas prisões dos dois acusados identificados por Gustavo Vinícius Alves das Chagas, conhecido por “Pacú”, 23 anos e Alaílson de Sousa Silva, conhecido por “Maguim do Celeiro”, 25 anos. Durante a ação da polícia pela prisão dos criminosos foi encontrado na casa onde estava Gustavo Chagas, 01 Rifle calibre 22, com 12 munições do mesmo calibre, além de 01 Revólver calibre 32, com 06 munições intactas. No rifle, estava um acessório conhecido como “silenciador”.Já na casa onde houve a captura do Alaílson de Sousa, foi encontrado 01 Revólver calibre .32 além de 11 munições do mesmo calibre e ainda 03 munições de calibre .44 (calibre restrito).

 

Durante as investigações fora apontado que contra Gustavo Vinícius e Alaílson de Sousa, havia Mandados de Prisão expedidos pela Comarca de Teresina/PI, onde eles respondem pelas ações penais por crimes de homicídio e tráfico de entorpecentes. Durante as investigações das delegacias especializadas ficou constatado que ambos fazem parte de uma facção criminosa com atuação em todo no Estado do Piauí, e que eles estavam em Timon, para praticarem homicídios e o tráfico de drogas a mando da mencionada organização criminosa. Os presos foram apresentados na Central de Flagrantes de Timon, no sentido dos procedimentos do Cumprimento dos Mandados de Prisão.

Ascom

Lista de espera do ProUni já está disponível para consultas

A partir de hoje (18), a lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni) estará disponível para consulta pelas instituições de ensino superior privadas participantes do programa.

Todos os candidatos que estão na lista deverão ir às instituições  apresentar a documentação de comprovação das informações prestadas na inscrição.

A lista de espera do Prouni estará à disposição das instituições com a classificação dos estudantes por curso e turno, segundo as notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018.

O prazo para que os candidatos que integram a lista compareçam às faculdades onde concorrem a uma vaga começa amanhã (19) e vai 22 de julho. A lista com a documentação necessária está disponível na página do ProUni.

A lista de espera será, então, usada pelas próprias instituições para preencher as bolsas de estudos que não foram ocupadas nas duas chamadas regulares do programa.

ProUni

Ao todo, serão ofertadas para o segundo semestre deste ano 169.226 bolsas de estudos em instituições particulares de ensino superior, sendo 68.087 bolsas integrais, de 100% do valor da mensalidade, e 101.139 parciais, que cobrem 50% do valor da mensalidade.

As bolsas integrais são destinadas a estudantes com renda familiar bruta per capita de até 1,5 salário mínimo. As bolsas parciais contemplam os candidatos que têm renda familiar bruta per capita de até 3 salários mínimos.

O ProUni é voltado para candidatos que não tenham diploma de curso superior e que participaram do Enem 2018.

Os estudantes devem ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em instituição privada como bolsistas integrais. É preciso ainda ter obtido nota mínima de 450 pontos na média aritmética das notas nas provas do Enem.

Também podem participar do programa estudantes com deficiência e professores da rede pública.Por Agência Brasil.

Mais de 100 kg de drogas são apreendidos durante operação no MA

150 kg de entorpecentes foi encontrada no bairro Vila Cilene em Coroatá — Foto: Divulgação/Polícia
150 kg de entorpecentes foi encontrada no bairro Vila Cilene em Coroatá — Foto: Divulgação/Polícia

Uma operação da Polícia Civil apreendeu na quarta-feira (17) 150 kg de drogas no município de Coroatá, a 260 km de São Luís.

Segundo a polícia a operação, que foi batizada de “Cilene”, aconteceu no bairro Vila Cilene, em Coroatá, e durante a ação policial foram presos Raimundo Nonato Lopes Souza, de 40 anos, conhecido também como “Neto”, e Rogério Rodrigues Araújo, 33, que é conhecido pelo apelido de “Prateado”.

A polícia ainda apreendeu uma quantia em dinheiro e mais um veículo de passeio. O objetivo da operação “Cilene” era para cumprir mandado de busca e apreensão e prisão de suspeitos de tráfico de drogas situados no bairro Cilene. Os mandados de busca e apreensão e prisão foi concedido pelo Poder Judiciário da Comarca de Coroatá.

Raimundo Nonato Lopes Souza e Rogério Rodrigues Araújo foram presos e autuados pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. Eles foram conduzidos para a Delegacia de Polícia Civil de Coroatá.Por G1 MA

Raimundo Nonato Lopes Souza e Rogério Rodrigues Araújo foram presos e autuados pelo crime de tráfico de drogas — Foto: Divulgação/Polícia
Raimundo Nonato Lopes Souza e Rogério Rodrigues Araújo foram presos e autuados pelo crime de tráfico de drogas — Foto:

Estudo aponta aumento de câncer em população de 20 a 49 anos

O aumento dos casos de câncer na população entre 20 e 49 anos, de 1997 a 2016 chamou a atenção de especialistas. Nesse período, a incidência por ano do câncer da glândula tireóide registrou uma elevação de 8,8%, o de próstata 5,2% e o de cólon e reto 3,4%. Os dados fazem parte do estudo elaborado pelo Observatório de Oncologia, que teve como tema Câncer antes dos 50: como os dados podem ajudar nas políticas de prevenção.

O trabalho foi apresentado nesta quarta-feira (17), durante o Fórum Big Data em Oncologia, que ocorreu no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro. O encontro foi organizado pelo Movimento Todos Juntos Contra o Câncer (TJCC).

De acordo com o estudo, houve aumento ainda na mortalidade por alguns tipos da doença. O maior percentual foi de câncer no corpo do útero, que subiu 4,2% por ano; seguido por cólon e reto com 3,2%, mama 2,5%, cavidade oral 1,2% e colo de útero 1%.

A líder do TJCC e presidente da Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale), Merula Steagall, disse que após pesquisas da Sociedade Americana de Câncer, divulgadas em fevereiro, nos Estados Unidos, identificando a ligação entre obesidade e o aumento nos casos de câncer em indivíduos mais jovens, especialistas do Observatório de Oncologia, que pertence ao TJCC, se dedicaram ao estudo para verificar o que ocorria no Brasil e analisaram dados gerados no setor de Saúde. Foram analisados dados do DATASUS e do Inca.

O resultado, além de um alerta, vai servir para indicar tipos de políticas que podem ser adotadas pelos gestores e impedir que a tendência tenha um crescimento maior.

“Os que aumentaram na incidência e na mortalidade eram cânceres relacionados ao tipo de vida. A gente está pressupondo que álcool, tabaco, alimentação não saudável e falta de prática de exercício podem estar refletindo no aumento de incidência”, detalhou Merula Steagall.

A pesquisadora ainda diz acreditar que o aumento da mortalidade se deu porque as pessoas procuram o tratamento em estágio avançado da doença. ”Como se espera que o câncer é uma doença depois dos 50 anos mais predominantemente, porque as células estão mais envelhecidas e começa uma produção irregular que acarreta no câncer, a pessoa entre 20 e 50 não está atenta para isso. O sistema não facilita o fluxo para ir rápido para um diagnóstico”.

Demora

No encontro, os especialistas destacaram dois fatores que contribuem para esses números: a falta de acesso a informações e aos tratamentos. “Esse fator da demora de acesso a um especialista e a um centro adequado também acarreta na mortalidade e a pessoa perde o controle da doença”, contou.

Merula acrescentou que em termos de tecnologia, nesses 20 anos, houve avanços, então, para o especialista é triste verificar que o progresso científico não teve impacto na vida das pessoas. “Não teve resultado para muitos tipos de cânceres. Dos 19 analisados, 10 aumentaram a mortalidade”, observou, destacando a importância da mídia no alerta e na divulgação da vida saudável.

“Você tem que planejar a sua terceira idade enquanto é jovem. Só que as pessoas jovens acham que a mortalidade para elas está distante. Falo isso como uma pessoa com doença genética e como a morte estava sempre próxima sempre me cuidei, me tratei, procurei fazer esportes e tive alimentação saudável. É importante alertar porque precisamos planejar o nosso envelhecimento.”

Diagnóstico

A médica mastologista, Alice Francisco, teve uma experiência própria com diagnóstico precoce. Ao fazer um exame de rotina para verificar um histórico familiar de hipotireoidismo ficou constatado, mesmo sem ter sintomas, que tinha câncer na tireóide. A avaliação foi há 12 anos, o tratamento foi feito, o tumor sumiu, mas dois anos depois voltou. “Precisei fazer novamente o tratamento. Foi uma coisa bem inesperada para a situação do meu diagnóstico naquele momento”, revelou.

Alice completou que foi muito importante ter o diagnóstico precoce e que pôde ver o quanto é relevante o impacto nos resultados dos tratamentos. A médica reforçou a necessidade de ter bons hábitos alimentares e físicos. “Para mim, isso foi muito importante e adaptar ao meu dia a dia. Hoje eu repercuto muito isso como profissional de saúde e estudo tudo. Uma das minhas linhas de estudo é a atividade física, então, mudou muito a minha forma de ser profissional depois de ter passado por isso”, indicou.

Parceria

Segundo a presidente da Abrale, o objetivo da entidade é trabalhar junto com o Ministério da Saúde para a definição, entre outras medidas, de maior divulgação de informações sobre o que é a doença, como pode ser diagnosticada e quais são os fatores de risco.

No encontro, foi apontada a diferença de acesso das informações e à disponibilidade de tratamento entre as regiões do país, com maior dificuldade no Norte, no Nordeste e no Centro-Oeste. O diretor do Departamento de Informática do SUS (DATASUS/SE/MS), Jacson de Barros, que participou dos debates, reconheceu que é preciso qualificar mais as equipes de atendimento, que podem apresentar um diagnóstico precoce, facilitar o tratamento e em muitos casos evitar a morte do paciente. Para ele, isso pode também reduzir as sub-notificações. “A gente quer mudar a forma de disponibilizar os dados do DATASUS para que todo mundo consiga além do acesso, poder fazer estudos longitudinais, acompanhar o desfecho. A ideia é aprimorar todo esse sistema”, disse.

O diretor afirmou que falta infraestrutura para permitir o registro adequado da informação. Um estudo do ano passado dos hospitais que têm mais de 50 leitos mostra que mais da metade não tem prontuário eletrônico, ou seja, faz o básico quando o paciente entrou, se precisou ficar internado e quantos dias permaneceu na unidade, mas não é feita uma análise clínica. “Mesmo assim, com as informações que a gente tem ainda dá para sair muito suco de laranja, mesmo não tendo as informações clínicas”, afirmou.

Para resolver o problema das regiões onde há carência de acesso à informação, ao diagnóstico e ao tratamento, o diretor disse que o Ministério da Saúde está fazendo um mapeamento para adequar o primeiro atendimento a fazer o registro adequado. “Será um mapeamento baseado na classificação do IBGE, e para cada região vamos subsidiar soluções para investimento de infraestrutura na ponta e para melhor atender e registrar”, disse.Por Agência Brasil

Adelmo Soares e Pedro Belo conseguem projeto Travessia para Codó

Em reunião nesta manhã (17) com o presidente da Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB), Lawrence Melo, o deputado Adelmo Soares acompanhado do líder político da região, Pedro Belo, tratou de assuntos relevantes para os codoenses, em especial ao que tange o Projeto Travessia. A reunião foi em resposta ao requerimento protocolado na Assembleia Legislativa ainda nas primeiras semanas de mandato, onde Adelmo solicitou a implantação do Projeto Travessia buscando atender aos que mais precisam.

No parlamento, o requerimento recebeu o apoio do colega, Dep. Zito Rolim que também representa o município de Codó. Agora, o serviço chegará ao município onde será executado em parceria com o prefeito Francisco Nagib, como já acontece em outras cidades.

SAIBA MAIS

O Serviço Travessia é desenvolvido pela Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB), e se destina ao deslocamento de pessoas que fazem uso de cadeira de rodas; deficientes visuais e crianças com microcefalia, hidrocefalia e outras doenças neurológicas com alto comprometimento de mobilidade reduzida permanente, conforme Resolução – MOB N° 001, de 27/02/18.

Através do Travessia, o Governo do Estado do Maranhão, possibilita o acesso a serviços de saúde, educação, trabalho e lazer atendendo a necessidade e o direito de ir e vir dessas pessoas materializando as políticas públicas de inclusão social e permitindo que as pessoas com deficiência tenham de forma efetiva a garantia desses direitos, trazendo dignidade e cidadania às pessoas com deficiência e crianças com hidro e microcefalia. Atualmente, já são mais de 3.300 usuários do programa em cerca de 28 municípios.

O projeto de implantação do serviço para atender aos codoenses, nasceu de uma reivindicação do líder político Pedro Belo que em uma de suas visitas ao gabinete do deputado Adelmo Soares. Ambos possuem uma estreita parceria e amizade de longa data, desde sua gestão como secretário da SAF.

“Me sinto muito feliz por ter protocolado esse requerimento, agradeço imensamente ao Governador Flávio Dino por mais uma vez atender às minhas solicitações e, também, me sinto grato por estar junto ao meu amigo Pedro Belo representando a população de Codó e levando um tão importante serviço para que a população possa ser contemplada da mesma forma que já acontece em outros municípios maranhenses. Codó é uma cidade grande e importante, por isso, merece o todo o respeito do Governo do Estado. Quero parabenizar Pedro Belo pela iniciativa de ter feito a solicitação a mim, desejo que caminhemos juntos para construir uma Codó cada vez melhor e um Maranhão de todos nós, plantando ideias sempre”, afirmou o deputado estadual Adelmo Soares.

Pedro Belo também demonstrou sua gratidão ao parlamentar, reforçando a parceria entre ambos: “É uma grande honra saber que hoje eu posso contar com essa parceria que tenho com Adelmo Soares, uma pessoa que trabalha em prol de um Maranhão melhor e, com certeza, agora trabalhará em prol do povo codoense”, concluiu.

Bolsonaro anuncia venda de aeronaves da Embraer para Portugal

O presidente Jair Bolsonaro anunciou hoje (16), por meio de sua conta pessoal no Twitter, a venda de cinco aeronaves da Embraer, modelo KC-390, para a Força Aérea Portuguesa. Esta é a primeira venda desse novo modelo para um país europeu.

“Conseguimos concluir a venda de cinco aeronaves Embraer KC-390 para a Força Aérea Portuguesa, após autorização da aquisição pelo Governo de Portugal, que contribuiu ativamente para o desenvolvimento do KC, exemplo da tecnologia de ponta que produzimos no Brasil”, disse Bolsonaro em seu Twitter.

Jair M. Bolsonaro

@jairbolsonaro

– Grande notícia! Conseguimos concluir a venda de cinco aeronaves Embraer KC-390 para a Força Aérea Portuguesa, após autorização da aquisição pelo Governo de Portugal, que contribuiu ativamente para o desenvolvimento do KC, exemplo da tecnologia de ponta que produzimos no Brasil.

6,173 people are talking about this

Portugal desembolsará pelos aviões, 827 milhões de euros, que equivale a cerca de R$ 3,5 bilhões. O contrato envolve ainda um simulador de voo e suporte técnico. O primeiro desses aviões deve aterrissar em solo lusitano em fevereiro de 2023.

As aeronaves vão substituir os modelos Hércules C-130, da norte-americana Lockheed Martin, que atualmente servem a Força Aérea Portuguesa.

O KC-390 é um avião cargueiro de transporte tático militar, o maior já fabricado no Brasil.  A produção da aeronave está sendo feita em Gavião Peixoto (SP).  Uma das suas utilizações é no transporte de tropas e cargas.

Além do transporte de cargas e tropas, o KC-390 pode ser usado também para transporte de paraquedistas, para o abastecimento de outras aeronaves no ar, missões de busca e salvamento com equipamentos especiais, combate a incêndios florestais e até em voos para a Antártida.

A Embraer, também está negociando a venda do cargueiro para Chile, Argentina, Colômbia e República Tcheca. Por Agência Brasil.

ONU: cerca de 1,7 milhão de pessoas foram infectadas pelo HIV em 2018

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids) divulgou hoje (16) que cerca de 1,7 milhão de pessoas em todo o mundo foram infectadas pelo vírus em 2018 – uma redução de 16% em relação a 2010. O documento Atualização Global sobre a Aids – Comunidades no centro revela que a queda foi impulsionada principalmente por progressos no leste e no sul da África.

O estudo, lançado em Genebra, na Suíça, e em Eshowe, na África do Sul, alerta, entretanto, que, enquanto alguns países têm avanços acentuados, outros observam o aumento de novas infecções pelo vírus e de mortes relacionadas à aids. O relatório aponta ainda uma desaceleração na redução de novas infecções por HIV.

“A epidemia do HIV pôs em foco muitas falhas da sociedade. Onde há desigualdades, desequilíbrios de poder, violência, marginalização, tabus, estigma e discriminação, o HIV toma conta”, avalia a diretora do Unaids, Gunilla Carlsson.

Segundo o documento, o panorama da epidemia no mundo está mudando: em 2018, mais da metade de todas as novas infecções por HIV foram em pessoas que integram as chamadas populações-chave, que incluem profissionais do sexo, pessoas que usam drogas, homens gays, homens que fazem sexo com homens, transexuais e presidiários – e seus parceiros.

Globalmente, as novas infecções por HIV entre mulheres jovens (com idade entre 15 e 24 anos) caíram 25% entre 2010 e 2018.

“Esta é uma boa notícia, mas, é claro, continua a ser inaceitável que 6 mil meninas adolescentes e mulheres jovens sejam infectadas pelo HIV toda semana. A saúde sexual e reprodutiva e os direitos das mulheres e jovens muitas vezes ainda são negados”, aponta Gunilla Carlsson.

Países de língua portuguesa

O estudo inclui avanços para que se tenha, até 2020, 90% das pessoas com HIV devidamente diagnosticadas, 90% delas realizando tratamento com antirretrovirais e, deste grupo, 90% com carga viral indetectável.

No primeiro indicador, Brasil, Cabo Verde e Portugal cumpriram ou estão a caminho de cumprir a meta. Os dois últimos países também estão em vias de alcançar o segundo indicador.

O Brasil é citado como o único país em vias de cumprir o objetivo de alcançar 90% de pessoas com carga viral indetectável, o que indica sucesso do método terapêutico aplicado no país.

A Guiné-Bissau é mencionada no estudo pelo alto número de mulheres que vivem com deficiência com maior probabilidade de serem soropositivas do que homens na mesma situação.

Moçambique é citada pelo sucesso em ações com base na comunidade, que podem resultar na garantia de direitos à saúde em um país de baixa renda com uma das maiores epidemias de HIV do mundo e vários desafios de saúde pública. Os recentes ciclones e o efeito no sistema de saúde são apontados no relatório, que cita outros agravantes como pobreza extrema, acesso desigual, escassez e fraca presença de provedores de serviços de saúde.

Já Angola é um dos sete países onde o número de infeções aumentou em crianças.

Populações

O documento mostra que as populações-chave e seus parceiros sexuais representam atualmente 54% das novas infecções pelo HIV no mundo. Em 2018, o grupo respondia por 95% delas, enquanto as regiões que precisavam de maior atenção eram Europa Oriental e Central, Oriente Médio e Norte da África.

O estudo revela ainda que menos de 50% das populações-chave foram atingidas com serviços combinados de prevenção ao HIV, problema relatado em mais da metade dos países pesquisados. Segundo o Unaids, isso seria um indicativo de que elas estão sendo marginalizadas e deixadas para trás na resposta ao HIV.Por Agência Brasil.